Jaime Dalmazo, engenheiro agrônomo da Cotrisul
(Foto: Marcelo Marques/Gazeta)

O plantio da safra 2018/19 de soja atingiu 70% da área prevista no município, informou o engenheiro agrônomo da Cotrisul, Jaime Dalmazo. Estima que a área destinada a oleaginosa chegue a 23 mil hectares.

– A área de plantio de arroz está diminuindo, devido ao custo da lavoura, preço de mercado e principalmente por falta de mão de obra rural. Somente os grandes produtores estão plantando. Quem arrenda campo está investindo em soja – disse Dalmazo.

Segundo o agrônomo, o cultivo da soja está entrando em novas áreas ou em rotação com o arroz.

– O clima é que não está ajudando. Os dias quentes, as noites frias e as chuvas fortes estão resultando em ataque de fungos e replantio de áreas. O desenvolvimento não é considerado satisfatório. No momento, chuva acima da média é prejudicial a cultura – informou.

Conforme Dalmazo, o custo da lavoura está mais alto este ano. Houve um aumento em 30% em relação ao ano passado.

– Para exemplificar. Em 2017, o agricultor comprou adubo, em média, ao preço de R$ 1 mil reais a tonelada. Neste ano, o valor pulou R$ 1,6 mil, em função da disparada do dólar, que ultrapassou R$ 4,00 – disse.

O agricultor e gerente comercial da Fida, Paulo Roberto Barbosa, que já plantou 80% da área destina a soja, também reclama das condições meteorológicas.

– Choveu fora do normal para o período. Devido a unidade excessiva do solo tivemos que fazer o replantio em algumas áreas – ressaltou.

No Estado, conforme projeções da Emater, a safra 2018/2019 deve ter acréscimo de 2,30% na área plantada, chegando a 5.890.619 hectares. Para a cultura arrozeira, a previsão é de que a área a ser plantada chegue a 1.050.300 hectares, número 1,69% menor que a safra 2017/2018. A produção deve chegar a 7.976.474 toneladas.