A vida é feita de momentos e pequenos gestos, que são interpretados por cada um de forma diferente. Já que para cada um tem o seu grau de importância.

Para alguém que encontra-se no final da vida, cada novo dia é um presente, para quem tem uma tarefa árdua para cumprir, e mais um dia difícil, no entanto cabe a cada um interpretar o que de melhor pode tirar de proveito do tempo que aqui lhes resta.
Sobre o passado, não adianta lamentar , pois ele jamais voltará, e entre os erros cometidos só resta usa-los como degrau para uma nova etapa a ser concluída.

O presente é o hoje, onde podemos consertar erros ou simplesmente ignora-los por falta de opções, de vontade ou porque esta é a única maneira possível e aceitável. Como a vida é feita de escolhas, uma acaba quase sempre inviabilizando a outra.
O hoje é o momento de reflexão, e mudanças e principalmente de planejar o futuro.

O futuro não nos pertence cabe a cada um organizar da forma que lhe convém, hora de rever seus conceitos, acabar com seus preconceitos, de imaginar-se superior a todos, achando que tudo pode.

Saiba que o tempo chega para todos e cada um deve escolher a forma mais sensata de viver a vida com responsabilidades e coerência valorizando e vivendo cada dia como se fosse um presente que nos for ofertado.

Em tempos de igualdade, de direitos e obrigações, cada um deveria fazer a sua parte, e também buscar a satisfação pessoal, não em coisas fúteis e sem valor mas sim em atos de engrandecimento e melhoria de uma vida plena em família.

Viajar conhecer lugares, adquirir cultura, ler, interpretar, dançar, sorrir e viver, esta sim deveria ser a formula mais eficaz contra a solidão e tristezas que a vida oferece.

Parceria, cumplicidade, respeito e planejamento são coisas que o tempo não desgasta, as pessoas e que esquecem de exerce-las tornando-se assim chatas, amargas e rancorosas, afastando do seu convívio aqueles que foram e continuam sendo importantes em sua vida.

Por Marilene Marques Machado