O prefeito Giovani Amestoy e o secretário de Cultura e Turismo, Leandro Bazotti, se reuniram na tarde de terça-feira (21) com os representantes das escolas de samba de Caçapava para tratar do cancelamento da programação do Carnaval 2017 diante da falta de segurança pública.

Esta foi a segunda reunião para discutir o assunto depois do recebimento do ofício da Brigada Militar informando “que o município contaria apenas com o efetivo orgânico […] insuficiente para garantir a plena segurança do evento”.

Ontem (20) o prefeito esteve com representantes das escolas de samba para tratar das possíveis alternativas de realização do evento, pois este ano os carnavalescos homenageariam personalidades caçapavanas, além de cantarem o preconceito contra o Carnaval.

Levando em consideração o momento atual foi decidido, em conjunto com os presidentes das escolas, que o município realizará um “Desfile solidário das escolas de samba”, no domingo (26), às 14 horas, na rua 15 de Novembro (avenida do Samba).

Além de apresentar a corte escolhida em votação online pelos caçapavanos e o trabalho feito pelas escolas de samba, a Prefeitura colocará um posto de coleta de alimentos não perecíveis e material escolar, na Praça da Matriz, que serão doados às entidades e crianças carentes do município.

O vice-prefeito Luiz Guglielmin, o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) Odacir Mariani e Cátia Cilene de Morais Dutra, representando o Grupo Clara Nunes, estiveram na reunião desta terça (21).

resize_1393851807

Escolas farão desfile solidário na rua 15 (Foto: Arquivo/Prefeitura)


Homenagem das Escolas de Samba
A Escola de Samba Unidos da Vila Sul “apresentará a Bença, tio França e Canjiquinha, dois importantes membros da Escola e da comunidade, já falecidos”, disse o presidente da agremiação Daniel Dornelles. A escola deve trazer mais de 70 integrantes na bateria e 150 para o desfile. Os ensaios ocorrem das 20h às 22h, na Escola Nª. Srª. das Graças.

A Leões da Fiel homenageia Adroaldo Guterrez e a família do empresário, já falecido, que foi um dos precursores do bar e restaurante Meu Cantinho, disse Gilson Perdomo, vice-presidente.

A escola, que faz trabalhos sociais com crianças e adolescentes com oficinas de música e confecção de instrumentos e figurino, conta com 80 integrantes em média e está ensaiando das 19h às 21h, na Cristo Redentor.

A Unidos da Vila São João traz a história do samba contra todos os preconceitos com o samba-enredo “Embaixo do Nariz”, que narra o samba vindo da Bahia, passando pelo Rio de Janeiro e chegando até Caçapava. Os ensaios ocorrem no Estádio Macedão, das 19h às 22h.