Select Page

Bombeando horizontes – Começando bem – Zauri Tiaraju de Castro

Bombeando horizontes – Começando bem – Zauri Tiaraju de Castro

Quando Eduardo “Milke” se lançou candidato ao palácio Piratini pelo fraco PSDB gaúcho, com trinta e poucos anos de idade, recém saído da prefeitura de Pelotas, me surpreendi com a coragem e a audácia do guri, teoricamente, um principiante na arte da política.

Pela mesma época, encontrei certa noite uma das raposas do PT estadual que jantava em Caçapava. Disse-me ele então, há cerca de dois anos da eleição estadual, que tratava-se de “um político muito bem articulado” e deveria ser um osso duro de roer e, portanto, poderia sim vir a ser o próximo Governador do Rio Grande. Desde aquela época, passei acompanhar mais atentamente as suas volteadas políticas.

Pois venceu o entrevado Sartori em segundo turno com certa facilidade por ser muito tranquilo provar que o Gringo não estava certo.

Com o resultado confirmado nas urnas, passou a movimentar-se com veterana desenvoltura e sem intermediários na busca de “acordos políticos” que lhe facilitassem a vida de governador de um estado falido.

Vi com admiração e surpresa o acordo com a bancada radical do PT, por índole oposicionista, para renovar o aumento das alíquotas do ICMS por mais dois anos. O ideal é que essa medida não fosse renovada mas, diante do caos instalado, por ora, não haveria outra saída que não fosse o povo continuar pagando o pato. Como sempre e em todos os escalões. Depois colocou o filho do poderoso Onix Lorenzoni, braço direito do Bolsonaro, em uma secretaria do seu governo, facilitando o diálogo com o Palácio do Planalto. Vejo uma luz no fim do túnel, qual seja, o entendimento para, juntando ideias, alcançar melhores ares para todo o estado voltar a progredir.

Ainda existem mais de uma dúzia de cidades sem acesso pavimentado, muitas estradas estaduais esburacadas, falta de hospitais regionais, falta de dinheiro para pagar o povo em dia, para custear a saúde que “dá pra fazer” e carências outras de todo o tipo e procedência.

Podem privatizar sim o BANRISUL, como já foram antes todos os outros bancos estaduais pelo Brasil afora. Não adianta possuir um banco dos gaúchos se estes pobres gaúchos continuam vivendo de migalhas. Orgulho de ser gaúcho é levar dinheiro na guaiaca pra gastar frouxo e não o governo que muda a cada quatro anos arrotar que o RG tem um banco pra chamar de seu.

Zauri Tiaraju de Castro
ztiaraju@yahoo.com.br

Sobre o(a) Autor(a)

Previsão do Tempo

TV Gazeta – Mil Edições