Select Page

Bombeando horizontes – Pé com “paia”, pé sem “paia” – Zauri Tiaraju de Castro

Bombeando horizontes – Pé com “paia”, pé sem “paia” – Zauri Tiaraju de Castro

Nos ermos de antigamente, quando os semiaculturados da campanha gaúcha incorporavam ao Exército Brasileiro para prestar o serviço militar obrigatório, aconteciam fatos pitorescos em abundância.

Houve um tio meu que saiu por primeira vez pra fora das cercas do município de Caçapava para ir servir em Quarai. Embarcou no trem em Cachoeira do Sul e depois de três dias de viagem em um “carro com bancos de sarrafo”,já no destino, adormeceu assim que deitou numa cama de colchão de crina sem roupa de cama, nem lençol, nem travesseiro.

Dormiu como uma pedra até a alvorada, seis horas do dia seguinte, quando o corneteiro estrilou o seu instrumento bem na entrada do alojamento apinhado de brutos. O seu susto foi tão grande que de um salto só se pôs de pé. Só não atinou para o fato de estar ocupando o segundo andar de um beliche verde oliva, estatelando-se no chão quase castelhano forrado de tijoletas como um saco de palha de milho.

Outro assunto sério era concatenar o passo certo do jovem militar com a batida do bumbo da banda: o pé esquerdo é para romper a marcha e o pé direito é para entrar na cadência do tambor. Certos instrutores criativos adotavam a regra do título desta croniqueta. Diante da falta de coordenação do recruta, amarravam uma palha de milho no coturno de uns dos pés do sujeito aprendiz para facilitar o acerto da marcha. Vem daí essa antiga prática de arrocinaros novos combatentes a cada ano.

Era assim como na política de hoje. Muita gente boa, calejada nessa lida, anda preocupada em acertar o pé entre direita e esquerda. E não é só no Brasil. É assim como um movimento pendular experimental que o mundo balança nos dois sentidos, fazendo o povo de cobaia ante o desespero pela busca de melhores dias ou pela conquista do poder.

Os estados se dividiram depois da Segunda Guerra mundial, criando o tempo da Guerra Fria entre Capitalistas e Socialistas. Nós também estamos experimentando uma situação política dessas agora que se invertem os valores na maneira de governar o País. Tá difícil acertar essa cadência já que plantam pouco milho em Caçapava atualmente…


Zauri Tiaraju de Castro

ztiaraju@yahoo.com.br

Sobre o(a) Autor(a)

Previsão do Tempo

TV Gazeta – Mil Edições