Select Page

Caçapava Memória – Alvino Goi – Fátima Jovane Nunes

Caçapava Memória – Alvino Goi – Fátima Jovane Nunes

 Farmacêutico, vereador emérito, vice-presidente e presidente do Poder Legislativo, cidadão honorário de Caçapava do Sul e assessor parlamentar.

 

Alvino Goi,  filho de José Goi e Generosa Goi, nasceu no dia 08 de novembro de 1931, na localidade de Rincão dos Goi, município de Ijuí/RS. Foi casado com Edith Goi, com quem teve três filhos: Denise, Márcia e Iog.

Alvino Goi foi farmacêutico nas Minas do Camaquã e em Caçapava do Sul, sempre atendendo a todos com presteza e dedicação. Cidadão humanitário, nunca deixou alguém mais necessitado sem o medicamento pretendido. Se alguém não dispunha do recurso financeiro, recebia o remédio de forma gratuita ou o dinheiro para adquiri-lo em outra farmácia.  

 Alvino Goi iniciou sua carreira política em 1969 pela extinta Aliança Renovadora Nacional (ARENA) e  atuou  como vereador em Caçapava do Sul por quatro mandatos, e durante esse período foi vice-presidente e presidente da Câmara de Vereadores, na gestão 1977/1978. Em 1982, recebeu da Rádio Caçapava o título de Cidadão Honorário e, em 1989, o título de Vereador Emérito do Município outorgado pelo Poder Legislativo. Em 1988, Alvino Goi foi homenageado pelo então prefeito da cidade de Caçapava do Estado de São Paulo, Adilson Natali, por ter sido o elo de aproximação das duas “Caçapavas”, Caçapava dos Bandeirantes e Caçapava Farroupilha.

Alvino Goi também foi “embaixador” do município de Caçapava do Sul, em Porto Alegre, e Delegado da União de Vereadores do Estado do Rio Grande do Sul (UVERGS). Exerceu, ainda, as atividades de Assessor do então secretário da Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, Celestino Granato Goulart, e do ex-chefe da Casa Civil, Adilson Motta, a quem, posteriormente, assessorou na Câmara dos Deputados.

Durante sua atuação pública, entre outras iniciativas, Alvino Goi reivindicou a criação da Agência do INSS para Caçapava do Sul; e nas  Minas do Camaquã, participou da implantação da Escola Gladi Machado e dirigiu o Esporte Clube Minerador. Também foi autor do Projeto de Lei que denominou a Sala das Sessões da Câmara de Vereadores de Caçapava do Sul de “General João Manoel de Lima e Silva”. Parlamentar atuante e destemido, Alvino Goi dizia que “a sala das sessões da câmara de um município é o local onde se escreve a história”.

A denominação do Aeroporto Municipal de “João Faria de Oliveira Lima” e homenagens às entidades caçapavanas aniversariantes do mês de maio, foram outras proposições de sua autoria.         

Na condição de vereador e representante do município, Alvino Goi participou de vários Congressos Estaduais e Nacionais e foi convidado para participar de um curso de Administração Pública na Universidade de Miami, nos Estados Unidos.

Alvino Goi foi um grande legislador, que honrou seus propósitos e defendeu os interesses do município e região, buscando sempre a união e o bem comum, atendendo a todos com o seu jeito simples de ser.

Alvino Goi, “o amigo de todas as horas”, hoje com 85 anos de idade, reside em Porto Alegre, Capital do Estado do Rio Grande do Sul.      

 

Fátima Jovane Nunes
Pesquisadora

Sobre o(a) Autor(a)

Já nas bancas

Curta nossa página

Publicidade

Publicidade