Rua localizada no Bairro Floresta, lado norte da cidade, em diagonal com a Rua Altair Jacob Oberto, denominada através de Lei Municipal nº 1.028/98.

Breno Osório Pereira (BOP) nasceu em Caçapava do Sul no dia 16 de junho de 1928, filho de Venâncio Dutra Pereira e de Maria Tereza Osório Pereira.

Breno Pereira iniciou sua carreira como funcionário público no dia 1º de fevereiro de 1951, assumindo as funções de porteiro e contínuo da Prefeitura Municipal, na gestão do então prefeito João Faria de Oliveira Lima. No decorrer do tempo foi escriturário, chefe do Setor da Fazenda, fiscal, tesoureiro e agente tributário do Município. Também trabalhou na Junta de Serviço Militar e no Cartório Eleitoral.

Ele costumava dizer que, de tantas funções que exerceu, só não tinha sido Prefeito. Além das funções administrativas, Breno Pereira, que era apaixonado por microfone, trabalhou na Rádio Caçapava desde a sua fundação, no dia 20 de maio de 1951, totalizando 44 anos de serviço. Na emissora foi locutor, redator, operador de áudio, repórter, plantão esportivo e apresentador titular do programa ”Tangos e Boleros Dentro da Noite”, por ele criado.

Na sua vida pessoal, Breno Pereira tinha muitos hobbys, tais como: criação de pássaros e cachorros, coleções de chaveiros, selos, canivetes, facas, canetas, canecos de chopp, posters e cartões postais. Dentre as suas coleções, BOP destacava a de chaveiros por ser a mais completa, pois contava com mais de 5.000 exemplares do Rio Grande do Sul, do Brasil e do Mundo. Considerava como o mais belo deles o do Corpo de Fuzileiros Navais que, por coincidência, foi o primeiro de sua coleção.

Onde estava o Pereira, estava a alegria. Sempre bem humorado, era muito observador e criativo.

“A Rádio Caçapava sem o Breno é uma casa vazia”, dizia o saudoso radialista e amigo José Freitas. Breno Pereira era o amigo e colega de todos os momentos, sempre pronto para servir o seu semelhante, sem nada pedir. Uma palavra de incentivo e uma boa piada estavam sempre prontas. E, quando alguma pergunta ou assunto não lhe agradava, simplesmente ignorava partindo para outra, bem à sua maneira. Se lhes perguntavam a idade, dizia não lembrar.

Torcedor fanático do Sport Clube Internacional se considerava doente pelo Inter. Destacava sua afilhada Karla Adriana, como a razão de sua vida. E mais tarde chegava a afilhada Neice Jossuela, sua outra grande paixão.
A Rádio Caçapava homenageou Breno Pereira com a denominação de seu estúdio principal.

Breno Osório Pereira faleceu no dia 20 de setembro de 1995, Dia do Gaúcho, aos 67 anos de idade, e foi sepultado em 21 de setembro, Dia do Radialista.

Sobre a vida, Breno Pereira dizia: “A vida é sombra que foge… A vida é nuvem que voa…”
Fátima Jovane Nunes
Pesquisadora