Eleita vereadora pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), está no exercício do mandato 2017/2020.
Márcia Berenice Gervásio de Freitas nasceu no dia 10 de julho de 1968, filha de Felisberto Cunha de Freitas e Sônia Maria Gervásio de Freitas. Ela é casada com o agrônomo Marcelo Rodrigues de Freitas.

Márcia é Bibliotecária formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e empresária com atuação nos ramos de cafeteria e loja de comercialização de ração. Foi Diretora Geral da ONG Clube do Cão por dois mandatos e é protetora atuante na causa animal há mais de 20 anos.

Na Câmara de Vereadores, é autora da inclusão do Bem Estar Animal e Meio Ambiente em Comissão Permanente; da Semana Municipal de Proteção Animal e Posse Responsável; alteração da Lei Municipal nº 3383/14, da Posse e Guarda responsável, dando ênfase aos maus tratos, a proteção aos animais comunitários, a doação responsável e a educação nas escolas; e de projeto que conscientiza e proíbe a venda e compra do veneno chumbinho nas agropecuárias e similares, bem como de outros venenos ilegais.

Neste mês, a vereadora Márcia iniciou um ciclo de palestras nas escolas do município sobre proteção e posse responsável dos animais, o qual se estenderá até o mês de outubro.

Em reconhecimento ao seu trabalho, Márcia foi agraciada neste ano de 2017 com o troféu Mulheres Brilhantes, nas categorias Política Destaque e Protetora dos Animais, em evento promovido pela Rádio Caçapava.

– Minha luta é pela implantação de políticas públicas efetivas e adequadas para a Proteção e Defesa dos Animais. A rede de proteção animal deve se expandir e é preciso que, cada vez, mais pessoas estejam envolvidas com a causa ou respeitando-a plenamente, enfatiza a vereadora.

Nota da Coluna: Encerramos, nesta edição, o quadro relativo às “Vereadoras de Caçapava”, quando destacamos a participação de 10 mulheres no Legislativo Caçapavano, com atuação no período de 1952 a 2017. Esperamos que no próximo pleito, em 2020, tenhamos mais mulheres participando da política em nossa cidade.

Fátima Jovane Nunes
Pesquisadora