Select Page

Caçapavanos devem R$ 10 milhões para Prefeitura

Caçapavanos devem R$ 10 milhões para Prefeitura

Dados da Dívida Ativa fornecidos pela Secretaria da Fazenda revelam que os contribuintes de Caçapava devem R$ 10.577.026,32 à Prefeitura em dívidas de tributos. A maioria dos casos envolve falta de pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e o Imposto Sobre Serviços (ISS).

Os impostos imobiliários – IPTU, ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) e Contribuição de Melhorias – é o que tem maior valor R$ 3.858.078,04, seguido pelo tributo sobre atividades – ISS, Alvarás e Multas – R$ 1.821.211,01. As taxas diversas e multas somam R$ 4.897.737, 47. Do total da Dívida Ativa, R$ 5.3210.289,81 já foram ajuizados.

Para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, nos últimos anos, a Secretaria da Fazenda passou a cobrar os créditos de forma mais eficaz para que os prefeitos não sejam responsabilizados por renúncia de receita, pois o Tribunal de Contas do Estado (TCE) intensificou o controle sobre a capacidade de arrecadação das Prefeituras.


Algumas das medidas recomendadas aos prefeitos é que cobrem os recursos da Dívida Ativa e caso o contribuinte não regularize os débitos, que inclua o nome do devedor no SERASA ou encaminhe para Protesto Extrajudicial o que impedirá o devedor de obter empréstimos e atualizar cadastros bancários, transações comerciais e obtenção de vários tipos de certidões.


Conforme o Secretário Adjunto Volnei Rosso, esta é a última alternativa da Prefeitura, que oferece inúmeras possibilidades de parcelamento de débitos.


– A medida ganhou aval jurídico do Supremo Tribunal Federal em 2016. Isso faz com que o contribuinte regularize sua situação o mais rápido possível – disse.


Por acreditar que a punição por deixar de pagar o IPTU será leve, muitos contribuintes não priorizam o pagamento do imposto e isso pode levá-lo a Justiça e até perder o imóvel, mesmo que for um bem de família.


– Primeiro a Secretaria busca medidas administrativas para resolver a situação dos contribuintes, mas se os débitos não forem sanados, a legislação possibilita a Prefeitura enviar para protesto cartório ou execução fiscal (Justiça) – esclarece Rosso.

Devedores poderão ser incluídos no Serasa e ter o nome protestado pela Fazenda (Foto: Marcelo Marques/Gazeta)

Devedores poderão ser incluídos no Serasa e ser protestado pela Fazenda (Foto: Marcelo Marques/Gazeta)


PARCELAMENTOS

Dívida Ativa Administrativa (Lei 3.816/2017)
Parcelamento em ate 46 vezes, sendo a parcela não inferior R$ 20,00, com correção na parcela de 0,50%.

Divida Ativa Ajuizada – Execução Fiscal – Lei 3.815/2017
Parcelamento em até 48 vezes, sendo a parcela não inferior a R$ 50,00, com correção na parcela de 0,50%.

Divida Ativa CDA – Protestada
Ir ao Cartório de Protestos para pagamento das custas, depois, dirigir-se a Secretaria da Fazenda – Setor de Arrecadação – para pagamento integral do Valor da Divida Ativa Protestada atualizada, para poder-mos emitir a Carta de Anuência.

Horário de Atendimento
Das 9h às 15h
Rua Benjamin Constant, 686 (2º piso Banco do Brasil)
Telefone (55) 3281 2463

Sobre o(a) Autor(a)

Curta nossa página

Confira nas Bancas

Publicidade

Publicidade