Select Page

Caçapavanos lançam obras na Feira do Livro da Capital

Caçapavanos lançam obras na Feira do Livro da Capital

Na tarde da segunda-feira, dia 6, foi oferecido ao público na Feira do Livro da Capital a obra “Baby Pignatari, o centauro de bronze”, 2ª edição do livro de diversos alunos da Oficina Literária de Alcy Cheuiche, em 2006, quando funcionava em Caçapava. Alvo de grande interesse, logo se esgotou, tendo ocorrido, na época, apelo para que houvesse nova impressão. Agora, em homenagem ao centenário do nascimento do biografado, o livro retornou à amostra portoalegrense, o que já ocorrera na 23ª Feira do Livro de Caçapava, em maio último.

Nesta sexta-feira, dia 10, é a vez de Ariane Severo. Iniciara como coautora de crônicas em vários títulos da “Oficina de Criação Literária Alcy Cheuiche”, em Porto Alegre. Em 2010, com o texto na área da psicanálise “Encontros e desencontros”, foi editado seu primeiro livro solo; em 2014, lançou “O suave mistério amoroso” e, no ano seguinte, foi coautora em “Os dois lados do espelho” e fez o lançamento do livro de contos dos alunos de sua Oficina de Literatura e Psicanálise, entitulado “Tudo em movimento”. Desta feita, operando na ficção, oferece o romance “Nina”, no Pavilhão de Autógrafos da Feira de Porto Alegre, às 16h30.

Trata-se de um romance onde a personagem, psicanalista brasileira nascida em Moscou, fruto da união efêmera de casal bolsista gaúcho, retorna à capital soviética com a intenção de ajudar pessoas que sofrem com a catástrofe de Chernobyl. E também buscando entender o desastre de sua própria vida, através da leitura do diário da mãe e fala dos poetas preferidos do pai e das pretensões revolucionárias dele. Após desvendar a tragédia radioativa europeia, traça um paralelo com o desastre da barragem de Mariana, concluindo que no Brasil o crime compensa e pode repetir-se a qualquer momento.

Por Rivadavia Severo / Colaborador

Sobre o(a) Autor(a)

Já nas bancas

Curta nossa página

Publicidade

Publicidade