Select Page

Cecília escolheu a hora de nascer

Cecília escolheu a hora de nascer

Francine, Helena e Jordano com a pequena Cecília
(Foto: Marcelo Marques)

Francine de Oliveira Valcarenghi Barcelos, 28 anos, deu a luz a Cecília, hoje com oito dias, ao lado das pessoas que mais ama. O pai, Jordano Mayora Barcelos, 29 anos, que participou integralmente do momento mais esperado pelo casal durante os nove meses, e da filha, Helena, dois anos. Cecília veio ao mundo pelas mãos do pai, no banheiro da residência onde o casal mora nas Caieiras.

O casal havia optado pelo parto humanizado – forma mais natural de ter o bebê – em um hospital de Santa Maria, assim como foi o parto de Helena, em Curitiba.

Após meses de pré-natal, na quinta-feira, dia 14, Francine foi ao médico na cidade vizinha e ele disse que estava tudo bem mas que poderia levar até uma semana para a Cecília nascer.

Na madrugada de sexta-feira (15), por volta das 3h30min, Francine sentiu um desconforto, mas permaneceu deitada. Às 4h30 levantou da cama, as contrações aumentaram e ela tinha que se preparar para ir ao hospital, pois estava chegando o momento do parto.

– Coloquei as malas no carro, quando voltei para dentro da casa a Francine disse que iria dar à luz, então pedi que fosse tomar banho, com as luzes apagadas, como tínhamos aprendido no curso de parto humanizado no Paraná. Vesti a Helena e quando voltei ao banheiro Francine segurou forte me braço e disse: já está nascendo. Cecília nasceu nas minhas mãos. Foi acolhedor, pois logo em seguida a Helena entrou no banheiro e agarrou a mão da irmãzinha. Algo emocionante –relata Jordano.

Após o nascimento da menina, o pai ligou para o médico contando o fato e perguntou o que deveria fazer.

– Ele disse para ligar para o Samu. Entrei em contato e médico do serviço passou orientações para o cortar o cordão umbilical. Então peguei um fio dental amarrei o cordão conforme suas explicações, esterilizei uma tesoura com álcool e fiz o procedimento. O Samu chegou, levou a Francine e a Cecília para o hospital para avaliações. No final do dia elas já estavam em casa – disse o pai.

Questionados sobre os momentos que passaram, os pais falaram que a primeira filha, Helena, nasceu de parto natural e que fizeram um curso de parto humanizado, onde foram repassadas informações sobre o procedimento, por isso ficaram tranquilos na hora do nascimento.

– Fiz uma postagem no Facebook contando como a Cecília nasceu, não para “aparecer”, mas com o intuito de incentivar as mulheres a se informar sobre o parto humanizado. As pessoas assustam as gestantes, dizem que irão sentir uma dor terrível, porém não é assim, existente técnicas que ajudam na hora do parto.

Sugiro que leiam sobre o assunto. Além do fator humano e sentimental, o parto natural também oferece uma recuperação mais rápida para a mãe e menos risco para o bebê – explica Francine.

Sobre o(a) Autor(a)

Confira nas Bancas

Curta nossa página

Ganhadores do Mérito

Publicidade

Publicidade