Selecione a página

Caçapava 100 anos atrás

Caçapava 100 anos atrás

Vivemos num mundo totalmente conectado, aonde as informações chegam a todos os rincões numa incrível velocidade. Nem sempre foi assim. O grande “boom” da comunicação aconteceu com a disseminação e popularização do rádio, em meados dos anos 1930.

Antes do rádio, a forma de comunicar se reservava ao escrito. O jornal era o grande meio de comunicação e existiam dezenas deles circulando pelo Estado. Publicações de caráter político, policial, social e cultural.

Muitos destes materiais impressos chegaram até nós e são riquíssimos materiais de pesquisa, pois retratam a organização da sociedade, as relações sociais, os valores e cotidiano das pessoas do início do século XX

Em 1921, um dos jornais que começou a ser impresso em Caçapava se chamava “A Thezoura” e se autointitulava o “Orgam das Más Linguas”. Este jornal de quatro páginas era escrito a várias mãos e recebia da população material para suas colunas. Nele, a coluna Graças e Troças era um espaço para a catarse pública, para a fofoca e o mal dizer. Nesta edição, transcrevemos uma poesia publicada em “A Thezoura”, em 01 de janeiro de 1922, de um tal Zé Anil – possivelmente o codinome de um dos editores do jornal – para o “Filintro”, um mulherengo falastrão da nossa cidade. Documentação transcrita graças à parceria entre a Casa de Cultura Juarez Teixeira e o Arquivo Histórico Municipal Nicolau Silveira Abrão.

O texto foi transcrito mantendo sua grafia original.

 

 

Graças e Troças

O que muito me arrelia,

E’ a pôse de Filintro;

Dizer que tem mil guryas

E ser cidadão disticto.

O que muito me arrelia,

E’ a pôse de Filintro.

 

O nosso heróe è medonho

Pois quer mesmo ser Cupido,

Namoraria o demonio

Si este lhe desse ouvido

O nosso heróe è medonho

Pois quer mesmo ser Cupido.

 

Não pode vae, camarada,

Deixa-te destas loucuras,

Que a Thezoura é bem afiada,

E cortando…não tem cura.

Não pode vae, camarada,

Deixa-te destas loucuras.

 

Leia bem estes versinhos

E não queiras encabular,

Mas cuides teu casaquinho

Para a Thesoura não cortar.

Leia bem estes versinhos

E não queiras encabular.

Sobre o autor

Publicidade

Ouça nosso Podcast

TV Gazeta – Vídeos

Previsão do Tempo

Publicidade

Publicidade

RESULTADOS

Signos

Publicidade

Publicidade