Selecione a página

Como tudo começou

Como tudo começou

A ideia inicial para esta coluna era falar sobre a trilogia Jogos Vorazes e A cantiga dos pássaros e das serpentes, de Suzanne Collins. Mas o espaço acabou sendo muito curto para tudo que precisava ser dito, de maneira que a trilogia fica para outro momento. Aqui, dela, cito apenas alguns detalhes que considero essenciais para a compreensão.

A cantiga dos pássaros e das serpentes é uma sequência – considerando que foi escrita depois – que se passa antes dos eventos narrados na trilogia. Após finalizar a narrativa sobre Katniss e a resistência rebelde, Suzanne Collins volta a Panem e no tempo para contar como os Jogos Vorazes se tornaram o que conhecemos no primeiro livro. Para isso, ela faz de Coriolanus Snow – o tirano presidente de Panem na trilogia – o protagonista.

Se nos três primeiros livros ele era podre de rico, em A cantiga dos pássaros e das serpentes, a situação é bem diferente. No princípio da narrativa, Coriolanus está preocupado. A fortuna da família Snow se foi com a guerra entre os Distritos e a Capital – a mesma guerra a que os personagens da trilogia fazem diversas referências. Mas nem tudo está perdido para Coriolanus, pois uma nova colheita para os Jogos Vorazes está para acontecer. (Para quem não leu a trilogia: dois adolescentes, um garoto e uma garota, tributos de cada Distrito, são presos em uma arena na Capital para uma disputa pela sobrevivência. Os Jogos só acabam quando restar apenas um deles, o vitorioso)

Pela primeira vez, os tributos terão mentores, pois a Capital está se esforçando para atrair mais audiência para os Jogos, e Coriolanus conseguiu ocupar uma dessas vagas. Mas por que atrair mais audiência? O objetivo dos Jogos é mostrar que quem está no comando é a Capital, tentando convencer os moradores dos Distritos de que são inferiores, além de fazer com que eles paguem pela destruição causada durante a guerra vendo suas crianças matarem umas às outras na arena. Mas se ninguém assiste, os objetivos não podem ser alcançados.

O que Coriolanus não contava era que seu sobrenome já não valesse de muita coisa, de modo que ele é designado para auxiliar a tributo do Distrito 12 (Lucy Gray), o pior de todos. (Também para quem não leu a trilogia: são os Distritos que sustentam a Capital, cada um deles sendo responsável por desempenhar determinada tarefa e, quanto mais longe da Capital, maior o número que o “denomina” e menor sua importância, recebendo menos recursos.)

Para desespero de Coriolanus, que precisava do prêmio dos Jogos Vorazes para poder ir para a faculdade, além de ficar com alguém do 12, ainda havia sido a garota. Na lógica toda errada das pessoas da Capital, as garotas tributo eram as competidoras mais fracas. Mas Lucy Gray mostrará que estão todos errados, assim como Katniss o fez na trilogia.

Uma última coisa precisa ser dita sobre Coriolanus Snow: ele me lembra muita gente.

 

Referência: COLLINS, Suzanne. A cantiga dos pássaros e das serpentes. Tradução de Regiane Winarski. 1ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2020. 576p.

Sobre o autor

Publicidade

Ouça nosso Podcast

TV Gazeta – Vídeos

Previsão do Tempo

Publicidade

Publicidade

RESULTADOS

Signos

Publicidade

Publicidade