Mais de um ano transcorrido

Não dá folga a pandemia

O povo todo encerrado

Dá mostras de valentia

E a fofoca da vacina

Se renova noite e dia

 

Disseram que eram os velhinhos

A desfrutar primazia

Alguns sábios discordaram

Porque velho é porcaria

Pra quê gastar as vacinas

Com gente sem serventia

 

Eu não sei qual é o critério

Do tal plano nacional

Mas ouvi dizer que seja

Estudado e racional

E um dia, se deus quiser,

Chega no povo em geral

 

 

Dizem que a crise medonha

Triste peste, na verdade,

Deixará o mundo mais terno

Vencendo as dificuldades

E que depois, ao final de tudo,

Crescerá a solidariedade

 

Triste ilusão dos simplórios

Cresceu a picaretagem

Venderam vacinas falsas

Fizeram miles bobagens

Passaram gente na frente

Fraudaram até nas contagens

 

Tem gente que tem poder

Para ajudar as criaturas

Fecham e abrem como querem

Se orgulham de suas feituras

E ainda se fazem de vítimas

Porque são da prefeitura