A cada dia, fica mais clara a boa fase da economia brasileira. Na semana passada, o Banco Central (BC) divulgou os dados do Índice de Atividade (IBC-BR) do mês de junho e o fechamento do semestre. Este indicador é uma prévia do desempenho do Produto Interno Bruto (PIB), que terá o seu resultado oficial divulgado pelo IBGE no próximo mês de setembro. Em junho, o aumento foi de 1,14% o que somou um crescimento de 7% no semestre. Já em 12 meses, este índice ficou em 2,33%. Para o fechamento do ano, o BC prevê um aumento de 4,6%. O Boletim Focus do BC desta semana, que divulga os dados da pesquisa realizada entre os economistas das principais instituições financeiras, indica que o mercado prevê que o PIB encerre o ano com um crescimento de 5,28%, e os dados anteriores indicam estabilidade em torno deste numero. Para o ano que vem, a projeção é de 2,04% com viés de declínio.

 

Taxa Selic

Tem determinados assuntos que, por vezes, crescem nas pautas da mídia e, para algumas pessoas, fica difícil o entendimento. Um dos objetivos desta coluna é esclarecer e explicar, de maneira simples, o significado de termos e movimentos econômicos. A Taxa Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira, e é a sigla para o Sistema Especial de Liquidação e Custódia, programa virtual onde os títulos do Tesouro Nacional são comprados e vendidos. Quem estabelece esta taxa é o Comitê de Politica Monetária do Banco Central, que se reúne a cada 45 dias para este fim. É sabido que a principal forma de arrecadação de recursos pelo Governo Federal é através de impostos, mas a venda de títulos federais, que funciona como empréstimos, também é uma forma de conseguir dinheiro. Nestes empréstimos, o governo paga juros, que é a Selic. É o principal instrumento da politica monetária do Banco Central para equilibrar a quantidade de dinheiro em circulação, procurando a estabilidade do sistema econômico, importante arma no combate da inflação. Da mesma maneira que movimenta para baixo e para cima o custo dos financiamentos e empréstimos, também altera o rendimento das aplicações financeiras.

 

Quando a Selic sobe!

Em sentido figurado, pode ser dito que a Selic é o freio de mão do veículo economia. No momento que a velocidade do crescimento econômico está acima dos limites, é acionado o freio com o aumento da taxa. Se isto acontece, a taxa de juro fica mais elevada, o que, num primeiro momento, diminui a busca por empréstimos e financiamentos, reduzindo o dinheiro em circulação e, consequentemente, freando o consumo. Com menos consumo, a tendência é uma queda da inflação. É o que está acontecendo neste momento no Brasil. Hoje, a Selic está em 5,25% e, no final do ano, deve chegar a 7,50%. Portanto, o freio de mão está sendo puxado, o que vai fazer com que a inflação diminua. Esperando estes efeitos, a previsão é de que, em 2022, a inflação baixe para menos de 4%. Outro movimento que acontece quando a taxa, o juro, está elevada, é que ela serve como atrativo para o investimento externo. Imagine que, hoje, o juro americano é de 2%. Com certeza um investidor vai preferir trazer o seu dinheiro para o Brasil atrás de maiores ganhos. Esta entrada de maior quantidade de dólares também ajuda na manutenção do equilíbrio do câmbio. Com a previsão de que a Selic se mantenha alta, a expectativa é de que o dólar se mantenha estável num patamar de R$ 5,20.

 

Quando a Selic baixa!

O ano de 2020 foi um ano atípico, quando a pandemia desestruturou o sistema econômico, paralisando todos os setores, gerando números negativos. Com base neste cenário, o governo adotou a medida de redução da Selic, que permaneceu por vários meses em 2%. A intenção era de que os juros caíssem, os empréstimos e financiamentos aumentassem, trazendo mais dinheiro para a circulação e ativando o consumo. O freio estava solto! Por outro lado, com juro mais baixo, acontece uma fuga de capitais atrás de maiores lucros, e aí a menor oferta de dólares traz um movimento de alta da moeda. Sem dúvida nenhuma, a Taxa Selic é o principal instrumento que o Banco Central dispõe para administrar a politica monetária do país. É bom que se tenha um mínimo de conhecimento sobre o assunto.

 

Pense

Quanto mais vazia a carroça, maior o barulho.