Nestes tempos de tristezas que estamos vivendo, a Covid-19 ameaçando nossas vidas, roubando-nos entes queridos, que poderiam estar conosco por muitos anos ainda, outros flagelos têm aparecido em nossos cenários. O caso do menino torturado física e moralmente pela mãe e sua companheira, e por fim levado à morte e ocultação do cadáver, é fruto de outro vírus que está atingindo o âmago de pessoas mal amadas e que não aprenderam a amar.

Muitos outros casos de infanticídio praticados por mães ou pais estão acontecendo, levando a crer que algo se rompeu nos corações humanos, que fogem  de sua natureza – de amar e proteger sua prole à custa da própria vida.

Mas as circunstâncias do menino atirado às águas do rio Tramandaí nos causam ainda maior tristeza. Pois a avó da criança requereu a guarda do neto, mas os trâmites legais foram demorados tanto pela burocracia como pela falha de informações sobre os canais competentes, fazendo a pobre senhora ir de um órgão a outro para encaminhar os documentos. Quando os papéis ficaram prontos e o requerimento foi atendido, o menino já fora condenado e morto pela mãe. Ele podia ter sido salvo, e é isso que nos dói mais.

Por que os vizinhos que viam o menino pedindo comida na rua não avisaram o Conselho Tutelar? Bastaria um telefonema anônimo…

O mundo mudou tanto que essas barbaridades acabam por banalizar-se.  A sociedade, a família, o trabalho, a escola, a cultura estão modificando-se vertiginosamente. O Planeta Terra está ameaçado de morte pelos crimes ambientais que não cessam de acontecer. Vai faltar água, vão escassear alimentos, o que será de nós?

Ainda bem que a tecnologia está evoluindo a passos largos. Já é possível pensar em emigrar para outros planetas. Ou diminuir os efeitos do progressivo aquecimento da Terra.

Mas, com tantos problemas urgentes para resolver, nosso país está navegando sem um comando que se preocupe com eles; o que importa são os próprios interesses de permanecer no poder e eximir-se das responsabilidades do bem-estar de seu povo, da preservação do meio ambiente, da saúde e erradicação do coronavírus, e do aprimoramento da educação e valorização da família, que é onde tudo deve começar.

O Magistério está preparando as festividades pelo centenário de nascimento de seu ídolo Paulo Freire, que pregava a democratização, a igualdade de condições de educação do povo perante as classes sociais privilegiadas. A começar pela alfabetização do povo humilde, vítima fácil dos “coronéis” e dos votos de cabresto.

E aqui no RS, nossos professores estão em vigília na Praça da Matriz, reivindicando reajuste salarial, o que não acontece há uns oito anos ou mais. Seu idealismo continua vivo e, nas contingências atuais, ele se dedica em reciclar-se nos métodos e materiais didáticos para suprir o fechamento das escolas e incrementar as aulas virtuais. Tendo, muitas vezes, que fazer trabalhos extras para equilibrar seus orçamentos domésticos.

Mas nem tudo são tristezas. Há vozes clamando, estimulando, convidando para eventos que vão renovar nosso ânimo e coragem de lutar contra o marasmo e a indiferença de muitos… Os meios literários, jornalísticos, musicais, de artes plásticas não cessam de inovar. E virtual ou presencialmente, vão acontecendo entre nós, aquecem nossos corações e nos valorizam como seres humanos que pensam, que sentem e se expressam.

O Museu do Dr. Juarez preserva nossa história, personalidades e ambientes da vida rural de nosso município e não nos deixa esquecer que devemos orgulhar-nos de nosso passado de gaúchos autênticos e de suas tradições.

Cátia e os eventos que estão acontecendo no Clube Harmonia, com oficinas, exposições de arte, debates sobre as origens dos antigos escravos vindos da África, suas contribuições na cultura, economia, religiões e artes enriquecem nossa História. São o resultado de muito estudo, dedicação, pesquisa e, principalmente, de orgulho do que eles foram e acrescentaram de valor ao povo brasileiro e a nossa comunidade.

De máscara no rosto, mas de coração aberto, vamos aplaudir, participar, colaborar com todas essas boas obras.