Não é difícil perceber que a cada dia que passa, eu fico mais entusiasmado com o nosso querido Papa Francisco. Nosso Papa, dirigido pelo Espírito Santo de Deus, tem conduzido nossa Igreja com sabedoria e profetismo! Fiel a Jesus Cristo, não tem medo de se posicionar sobre assuntos às vezes polêmicos, que dizem respeito à nossa vida espiritual e à nossa dignidade humana.

Lendo um artigo do Papa na revista Rainha, me chamou a atenção o que ele falou sobre a confissão: “Receber amor divino passando da miséria à misericórdia”, razão pela qual partilho com vocês parte desse importante artigo do nosso Papa Francisco.

Segundo o Papa Francisco, quando nos confessamos, sentimos em nossos corações a alegria de um encontro de amor e de misericórdia. Quando vou me confessar, é para me curar, para curar a minha alma. Para sair com mais saúde espiritual. Para passar da miséria à misericórdia.

O centro da confissão é sempre Jesus, que nos espera, nos escuta e nos perdoa. No coração de Deus, nós estamos antes dos nossos erros. Receber esse sacramento não significa estar diante de um juiz, mas ir a um encontro de amor diante de um Pai que nos recebe e sempre nos perdoa!

Você pode perguntar: quantas vezes devo me confessar? Os católicos devem se confessar no mínimo uma vez por ano, podendo ser mais vezes, conforme a necessidade. Para receber dignamente Jesus na Eucaristia, é necessário que estejamos em estado de graça, reconciliados com Deus, com nosso próximo, com nós mesmos e com a natureza, nossa casa comum.

Se faz tempo que você não confessa, procure um sacerdote para receber a graça do perdão sacramental. Faça essa bonita e incrível experiência de mergulhar nesse encontro de misericórdia e graça. Antes de confessar, faça um exame de consciência, uma revisão de vida e não tenha vergonha de abrir teu coração à Graça de Deus. A experiência de viver reconciliado com Deus, com os outros e consigo mesmo é infinitamente saudável para a nossa vida. O pecado é sempre ruptura com a vontade de Deus, e a reconciliação é sempre volta para Deus.

Estamos em pleno Advento, tempo especial de preparação para o Natal do Senhor, tempo propício de conversão e reconciliação, tempo de sentir ainda mais o Amor de Deus, que se torna mais próximo com o nascimento de Jesus. Eu, Pe. Antônio, e o Pe. Atílio estamos sempre à disposição de quem queira se confessar. Não deixe de fazer essa experiência divina da Reconciliação!