Creio que é oportuno refletir como vai nossa vida de oração e de serviço aos irmãos para percorrermos o caminho que temos a seguir.  A questão sobre a importância da oração e da ação da vida cristã tem sido muito discutida. É um equívoco afirmar uma negando ou desvalorizando a outra, pois são duas  dimensões que completam e não podem faltar.

O Evangelho segundo Lucas narra a visita que Jesus fez à casa de Marta e Maria (Lc 10,38-42). Ambas o acolheram. Marta recebeu Jesus ocupando-se dos afazeres da casa. Sendo ela quem o havia hospedado, pode-se deduzir que agia assim para acolher bem. Jesus não advertiu Marta por estar trabalhando, e sim por andar preocupada e agitada por muitas coisas. Atualmente, há muitas pessoas agitadas por muitas coisas, que perdem a paz e a alegria de viver. Maria, irmã de Marta, recebeu Jesus de outro modo: sentou-se aos pés do Senhor e escutava a sua Palavra. Hoje, é preciso repetir seu gesto: colocar-se diante do Senhor para escutar sua Palavra e conversar com Ele.

Marta e Maria representam duas dimensões fundamentais da vida cristã: o trabalho e a oração. Por meio do trabalho cotidiano, o cristão pode unir-se a Jesus e glorificá-lo. Necessitamos de gente disposta a atuar, com dedicação, nas comunidades, pastorais e movimentos eclesiais, bem como na sociedade. Necessitamos de Marta!

Contudo, sem a oração e a escuta da Palavra, corremos o risco de andarmos preocupados e agitados por muitas coisas. É preciso imitar Maria para cumprir bem as tarefas cotidianas e superar os desafios com serenidade.

Procuremos refletir sobre como  estamos rezando e atuando como discípulos(as) de Cristo. É preciso refazer a experiência de Maria, colocando-se aos pés do Senhor para escutá-lo. Da mesma forma, somos chamados a glorificar a Deus por meio de nosso trabalho, amar e servir, como Marta. É preciso organizar o dia a dia a fim de encontrar tempo para rezar, ouvir a Palavra e participar da Eucaristia, assim como servir, especialmente os que mais sofrem, os pobres, os enfermos e os que são amados em nossa sociedade. Sejamos Marta e Maria!