Selecione a página

Casa de Cultura inaugura mostra de vestidos de noivas

Casa de Cultura inaugura mostra de vestidos de noivas

Itens expostos foram doados ou emprestados por colaboradores como Maria de Freitas Haag, que se casou em 1960 e foi pessoalmente levar o vestido até a Casa para contar suas memórias

Por Casa de Cultura Juarez Teixeira

Oito vestidos de noivas e cinco de aias, usados entre as décadas de 1950 e 2000, estarão em exibição na mostra Peças Únicas, que será inaugurada amanhã, dia 07, na Casa de Cultura Juarez Teixeira, em Caçapava. São peças que carregam histórias inusitadas, como um vestido bordado pelo namorado e um casamento que teve o cantor da festa e o noivo com roupas iguais. Também estão na mostra objetos como buquês, véus e cestinhas de alianças.

A ideia é recuperar memórias do cotidiano da cidade e da moda. Mostrar, por exemplo, como os vestidos de noivas da cidade acompanharam as tendências da moda no mundo ao longo dos anos.

– Os modelos da década de 1970 são leves, fluídos sem volume, bastante influenciados pelo movimento hippie, em contraste aos dos anos de 1980, estilo princesa, com babados, pedrarias, ombreiras e volume, inspirados na Lady Di, que se casou em 1981 – exemplifica a curadora Gisele Teixeira.

O vestido de noiva mais antigo da exposição é de 1952, que pertenceu à família Nobre Machado e foi doado para a Casa por Zirelma Machado Moraes, Também participam do projeto as “noivas”, por ordem de data de casamento: Maria Haag (1960), Néli Lúcia Coradini Abascal (1975), Celina Pereira de Freitas (1976), Tânia Leão (1980), Marlise Silveira Nunes (1986), Jaqueline Leão (1987) e Liège Alves (1991).

Os vestidos de aia foram usados por Luciene Barbiero Machado, Ana Lucia Rockenbach, Cristiane Lorenzen, Márcia Leão e Guadalupe Scarparo Haag. Todas as roupas foram emprestadas ou doadas para a Casa após uma campanha nas redes sociais, e serão expostas acompanhadas de fotos originais das cerimônias. O registro fotográfico mais antigo recuperado é uma foto do casamento de Aliny Costa Alves e Avelino Lemos da Silveira, realizado em 1925.

O projeto pretende, ainda, mostrar às novas gerações costumes e tradições do século passado – como posar no banco de trás do carro ou exibir os presentes em cima da cama. As imagens dos álbuns de casamento, por outro lado, revelam as diferenças entre as cerimônias de antes, bem mais simples e caseiras, em contraste com as megaproduções de hoje.

No dia da abertura, será montado um cenário instagramável, com um carro de época para que os visitantes possam reproduzir, com véu e casaco, ou dois véus e dois casacos, a tradicional foto de recém-casados. É o antigo, o tradicional, se alinhando aos novos tempos, incluindo a diversidade de gênero, o que era impensável no período abordado pela Mostra. Um altarzinho para Santo Antônio receberá mensagens de “pedidos e graças alcançadas”. A mais divertida leva um brinde da Casa no dia 13 de junho, dia do santo!

Na agenda

Abertura 07 de maio, às 19h.

Segue até 29 de maio.

Entrada R$ 5,00

Contatos:

Whatsapp: (55) 9 9696-1582

Instagram: ccjteixeira

Facebook: ccjuarezteixeira

Email: ccjuarezteixeira@gmail.com

Foto principal: Gisele Teixeira

Sobre o autor

Publicidade

Ouça nosso Podcast

TV Gazeta – Vídeos

Previsão do Tempo

Publicidade

Publicidade

RESULTADOS

Signos

Publicidade

Publicidade