Select Page

Do frio do pampa para o calor do Mato Grosso

Do frio do pampa para o calor do Mato Grosso

Jornalista caçapavano ao vivo no Bom Dia com Monalisa Perrone


O entrevistado desta semana do quadro “Nossa Gente” é o jornalista caçapavano Leandro Silva Trindade, 30 anos. Ele é repórter da rede de televisão Centro América, afiliada da Rede Globo em Cuiabá, capital do estado de Mato Grosso.

Leandro é filho de Elcio e Adriana Trindade, que voltaram para Caçapava há dois anos e moram na Vila Vivian. O jornalista cresceu no bairro Floresta, estudou na Escola Estadual Eliana Bassi de Melo e jogou futebol de salão na Escolinha do Brasil. Ele morou na cidade até os 13 anos, quando sua família foi morar em Minas Gerais, na cidade de Caeté (região metropolitana de Belo Horizonte) e depois foram para o Mato Grosso.

Gazeta – Como foi que descobriu sua paixão pelo jornalismo?
Leandro – Descobri minha paixão pelo jornalismo ainda em Caçapava. Eu lia o Gazeta e um dia resolvi fazer um jornal igual. Criei então o jornalzinho “A Crítica” que vendia na escola e para familiares. O jornal era feito em folha A4. Eu não tinha computador, então pegava os “textos” geralmente usava avós e tias como personagens e uma das minhas tias imprimia. Era a única que tinha computador. Eu saia com eles e vendia. Aí surgiu minha paixão pelo jornalismo. Minha família sempre incentivou bastante. Minha avó Odila Couto foi a grande incentivadora. Por vezes meus pais se preocupavam e queriam que eu estudasse para outra profissão, mas minha avó sempre me apoiava e não me deixa desanimar.

Gazeta – Como surgiu a oportunidade de morar e trabalhar no Mato Grosso?
Leandro – Meu pai era minerador, e vivia mudando de cidade. Há dois anos meus pais deixaram o Estado e eu fiquei para estudar, comecei a trabalhar e não deixei mais Mato Grosso. Minha adaptação aqui foi tranquila. A população e acolhedora. Sofri um pouco com o calor, que aqui é exagerado. Mas a gente aprende a conviver com ele.

Gazeta – Quais empresas de comunicação trabalhou?

Leandro – Antes de chegar a TV passei pelo jornal Correio do Dia, site Agência da Notícia e depois TV Record Norte Araguaia, afiliada da Record TV, em Mato Grosso, fiquei pouco mais de um ano, depois trabalhei um ano na TV Cidade, afiliada do SBT e fazem quatro anos que estou na TV Centro América, afiliada da Rede Globo em Cuiabá. Hoje sou repórter de link dos programas Bom Dia Mato Grosso e MT 1.

Leandro com os pais Adriana e Élcio Trindade

Gazeta – Qual episódio marcou sua carreira?
Leandro -Tenho dois momentos importantes na minha carreira. Não sei dizer qual foi mais marcante. O primeiro foi o dia que encontrei a Fátima Bernardes no Projac no Rio de Janeiro. Conversamos por pouco tempo, uns 15 minutos, mas foi uma experiência que faculdade nenhum me proporcionaria. Depois foi quando interagi ao vivo no Bom Dia Brasil com o Chico Pinheiro, que é outra lenda do jornalismo. Ter conhecido estes dois que tanto admirava na infância e na adolescência, é algo que levarei para vida toda.

Nossa missão é contar histórias. Sempre tive os dois nomes citados como referências. Na rotina da profissão tive um episódio que me marcou muito. A pauta era sobre moradores de rua. Encontrei uma menina, conversamos por alguns minutos. Era de uma inteligência fora do comum, ela me falou que foi para rua pra fugir dos abusos do padrasto. Essas histórias passam despercebidas. Tive matérias importantes, uma delas denunciou um vereador que seria pedófilo, depois ele foi condenado a 12 anos de prisão. Fizemos uma matéria investigativa contra o então Ministro da Agricultura Nery Geller, que foi usada para uma operação da PF, entre outras.

Gazeta – Você visita regularmente Caçapava?
Leandro – Visito todo ano. Sou muito ligado a família. Antes visitava meus avós, mas eles faleceram, agora reservo sempre alguns dias das férias para visitar meus pais. Gosto da cidade para descansar, recuperar as energias, ir pro campo, pisar descalço no sereno, tomar Chimarrão, um bom vinho. Geralmente minhas férias é em junho, curto um pouco do frio.

Gazeta – Tem planos para retornar para o município?
Leandro – Tenho planos de investir no município para o futuro. Mas voltar, por enquanto só para visitar a família.

Por Marcelo Marques / Gazeta de Caçapava
Fotos: Arquivo Pessoal / Divulgação

Sobre o(a) Autor(a)

Previsão do Tempo

TV Gazeta – Mil Edições