Internos do São Pedro realizam trabalhos em pintura na oficina
(Fotos: Divulgação)

O documentário “Epidemia de Cores”(Brasil, 2016, 70 min), dirigido pelo antropólogo caçapavano Mário Eugênio Saretta, que encheu a tela de salas de cinema e festivais do Rio Grande do Sul, está em cartaz no Brasil e no mundo.
O filme retrata o trabalho realizado na Oficina de Criatividade do Hospital Psiquiátrico São Pedro, em Porto Alegre, na qual os internos realizam trabalhos em pintura, escultura, bordado e escrita criativa.

Para realizar o documentário, Saretta captou imagens e realizou entrevistas ao longo de dois anos com pacientes, funcionários e voluntários da instituição. Ele conhece bem o trabalho, pois realizou diferentes pesquisas e trabalhos acadêmicos.

– As gravações foram feitas por mim, o que contribuiu para relação ética com os participantes. Dentro do filme busco trazer uma estética das águas, da fluidez das águas, foi uma tentativa ética e estética de falar daquele ambiente, principalmente do chão e das águas – disse.

A Oficina de Criatividade foi criada em 1990. Atualmente, as atividades contam com a participação de ex-internos, moradores do hospital psiquiátrico (pessoas internadas há décadas) e frequentadores interessados em arte, arteterapia ou no desenvolvimento de atividades expressivas. A oficina recebeu o prêmio do Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) pelo seu acervo de mais de 200 mil obras e pelo projeto de pesquisa Arquivo e Testemunho.

Mário Eugênio Saretta com um dos protagonistas do filme

O caçapavano conta que seu interesse foi um encontro com cores, com histórias de vida, mas principalmente com acontecimentos não registráveis em prontuários médicos.

– É um filme que busca produzir uma relação de afeto com vidas que pulsam em um hospital psiquiátrico que nasceu como um hospício – ressalta.

O texto do site do Canal Brasil, por assinatura, sobre o filme “Epidemia de Cores” foi um dos textos de apoio da redação da prova de vestibular da Universidade Católica de Pelotas, que ocorreu no final de semana passado.

No dia 11 deste mês, Epidemia de Cores foi exibido no SOUQ Film Festival em Milão, na Itália. Em março, o diretor Mário Eugênio Saretta e Solange, uma das protagonistas de Epidemia de Cores, participaram de um debate virtual realizado após a exibição do filme em Boston (EUA), como parte da 2ª Mostra Diga aí de Cinema Brasileiro, promovida pelo Grupo Mulher Brasileira e Consulado-Geral do Brasil em Boston.

O filme é distribuído pela Lança Filmes, com trilha sonora original de Vinicius Corrêa, montagem de Tatiana Nequete, desenho de som de Gabriela Bervian e pós-produção de imagens de Bruno dos Anjos e Tiago Demaman. A obra segue disponível em VOD nas plataformas NET NOW, Google Play e iTunes.

Ficha técnica
Direção, produção e roteiro: Mário Eugênio Saretta
Composição de trilha sonora: Vinicius Corrêa
Direção de fotografia: Mário Eugênio Saretta
Montagem: Tatiana Nequete
Desenho de som: Gabriela Bervian
Produção executiva de finalização: Vinicius Corrêa e Éverton Kniphoff
Pós-produção de imagem: Tiago Demaman e Bruno Dos Anjos
Assistente de direção: Marco Antonio Poglia
Designer gráfico: Thomas Benz
Direção musical: Vinicius Corrêa