Prefeitos, gestores públicos e vereadores de 20 municípios participaram na quinta-feira (14), em São Sepé, do II Fórum de Cidades Digitais do Centro do RS, promovido pela Rede Cidade Digital (RCD) em parceria com a Prefeitura de São Sepé.

A localidade começou a fomentar a questão da inovação na região em 2015, ao sediar a primeira edição do encontro que deu início às atividades da RCD no Estado, iniciativa que visa levar conhecimento, principalmente, a pequenos e médios municípios sobre o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação no processo de desenvolvimento socioeconômico.

O prefeito de São Sepé, Léo Girardello, ressalta que a informatização das Secretarias vem garantindo aumento de receitas próprias e de recursos federais.

“A partir de lá várias cidades despertaram para esse assunto e nós fizemos algumas ações. A comunicação interna da Prefeitura melhorou muito nos últimos dois anos. Deixamos de imprimir 600 mil folhas e informatizamos 100% a nossa Saúde, por exemplo. Hoje pelo celular posso saber quantos medicamentos são dispensados, o número de atendimentos em tempo real, além de ter o controle de estoque e as informações precisas coletadas pelas agentes de saúde com os tablets, o que agilizou e otimizou muito o recebimento de recursos. Tudo isso nasceu daquele evento”, disse o prefeito.

Para o secretário adjunto de Administração, José Carlos Roso, a mudança de cultura na administração pública é um dos desafios quando se fala na modernização das cidades. Atualmente, toda comunicação é feita online e mais de 100 mil documentos eletrônicos já tramitaram na plataforma de gestão desde a implantação em 2015. Roso também conta que o sistema de monitoramento, composto por 78 câmeras, vem contribuindo com a segurança da cidade de 24 mil habitantes, localizada a cerca de 260 km de Porto Alegre. “O próximo passo é ampliar a rede com o cercamento eletrônico. O índice de denúncias relacionadas à perturbação do sossego reduziu muito e em breve as autoridades irão divulgar um balanço desses primeiros meses”, comentou.

Inovação – Além da cidade-sede, Alegrete, Santiago, São Borja e Venâncio Aires compartilharam iniciativas de como a tecnologia vem melhorando os serviços prestados. No Estado não é diferente: o trabalho nas escolas antes feito no papel vem se transformando para o digital ao longo dos últimos anos, conforme destaca o coordenador regional de Educação da Secretaria Estadual, José Luis Vieira Eggres.

São softwares e plataformas adotadas para gestão de dados, controle e interação entre pais, alunos e professores. Um dos projetos pilotos é o aplicativo Cortex, que traz o diário de classe digital e possibilita, por exemplo, o registro de conteúdo, lista de chamada e avaliação dos alunos. “Evita toda aquela questão burocrática de secretaria. Além disso, os pais podem acompanhar o que está acontecendo com o filho”, explicou o coordenador.

A gerente de projetos e articuladora da Rede Cidade Digital, Priscila Bortolozzo, frisa a importância das Prefeituras pensarem em soluções tecnológicas para o cidadão. “Ações a curto, médio e longo prazo que melhorem a vida pessoas. Muitas vezes são ideias simples, mas que facilitam o dia-a-dia. Por isso é fundamental que haja troca de informações e conhecimentos para o desenvolvimento das cidades, tendo como foco solucionar problemas da população e otimizar os recursos da gestão”, ressalta.

O II Fórum de Cidades Digitais do Centro do RS teve o patrocínio ouro da 1DOC, prata da Gauss Geotecnologia e da Inovadora Sistemas, além do apoio da Infisc, Fala Cidadão, Vale dos Campos Hotel Fazenda e Trevo Parque Hotel.

Fonte: Comunicação RCD