Luis Fernando Torres (PT) tomou posse na presidência da Câmara na segunda-feira, dia 03. Em entrevista à Gazeta, ele projeta a nova gestão e o relacionamento com o Executivo, e comenta o resultado da eleição. Sua chapa, a única inscrita, recebeu seis votos a favor e cinco contra

A nova Mesa Diretora da Câmara de Vereadores, formada por Luis Fernando Torres (PT – presidente), Patrícia Santos de Castro (PL – vice-presidente), Marco Aurélio Vivian Taschetto (MDB – 1º secretário) e Silvio Tolfo Tondo (PP – 2º secretário), tomou posse em cerimônia realizada na noite de segunda-feira, dia 03, no Plenário da Câmara. Com eles, assumem também cargos no Legislativo: Daniela dos Anjos (assessora jurídica), Ricardo Pereira Gonçalves (diretor) e Daniel Miranda (assessor de comunicação).

Em entrevista à Gazeta na manhã de quarta-feira, dia 05, Luis Fernando Torres destacou que, das cinco bancadas que compõem a Câmara de Vereadores no atual mandato, quatro estão representadas na nova Mesa Diretora, que tem como principal objetivo trabalhar para o bem de Caçapava.

– A intenção não é ser uma Mesa Diretora de oposição. O importante é, agora, todo mundo pensar no coletivo. Por isso, montamos uma chapa pluripartidária para que todos pensem no bem maior, que é a melhoria da vida de toda Caçapava. Essa será uma nova fase, um novo desafio – afirmou.

Torres citou, entre os seus objetivos, melhorar a estrutura e a acessibilidade do prédio da Câmara. Segundo destacou, falta um banheiro para cadeirantes. Outro problema a ser solucionado são as infiltrações no telhado da sede do Legislativo, que causam transtornos há dois anos.

O novo presidente também pretende implantar algumas mudanças durante sua gestão:

– A partir de agora, toda segunda-feira, às 10 horas, haverá uma reunião com todos os vereadores para que possamos debater antes o que está indo para votação – informou.

Sobre a relação com o Executivo, Luis Fernando Torres disse que espera que seja mantida com muito respeito, e que cada um dos Poderes faça a sua parte. Ele também comentou o resultado da eleição para a presidência, na qual sua chapa, única inscrita, recebeu seis votos a favor e cinco contrários:

– Não me surpreendeu. Já havia um desgaste muito grande com a bancada do governo. Só me surpreendi com eles não terem montado uma chapa. Ficaria melhor se tivessem feito, porque uma eleição se ganha no voto. Se eu tivesse aceitado as propostas que eles me fizeram, eu tinha sido eleito com o apoio deles. É uma coisa que achei que não existia mais na política caçapavana, que é o jogo de favores e de oferecimento de cargos. Esse não é o tipo de política que eu faço. Eu faço política de resultado, e não de favores – declarou.

Luis Fernando Torres também disse que não tinha a ambição de ser o presidente da Câmara, mas que foi decidido pela maioria que seu nome era o mais indicado. Essa é a primeira vez que um vereador do Partido dos Trabalhadores assume a presidência do Legislativo caçapavano.

– É uma grande honra pra mim, porque há anos o PT tem representantes na Câmara. Já tivemos até três vereadores simultaneamente na Casa. E agora, com um vereador só na bancada, a gente conseguiu ter um nome de consenso da maioria. Isso me deixa muito feliz e mostra que o trabalho que tenho feito é sério, e hoje é reconhecido pelos colegas da Câmara de Vereadores – finalizou Luis Fernando Torres.

Foto: Eduardo Mota