Select Page

Olivilcultores avançam na formação do Ibraoliva

Olivilcultores avançam na formação do Ibraoliva

O Instituto vai promover e ordenar o desenvolvimento do setor olivícola brasileiro

 

Os olivicultores do Rio Grande do Sul e de outros estados articulam-se para a formação do Instituto Brasileiro da Olivicultura. Um esboço da missão, da composição e do mecanismo de funcionamento do Ibraoliva foi apresentado na semana passada, durante reunião da Câmara Setorial da Olivicultura, no auditório da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi).

Um grupo de trabalho ficou responsável por elaborar proposta de estrutura para a organização, semelhante à do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). O objetivo é promover e ordenar o desenvolvimento do setor olivícola brasileiro, fortalecendo os produtores. No encontro, os olivicultores puderam sugerir alterações e ajustes no estatuto do Ibraoliva, cujo lançamento está previsto para a Expointer deste ano. Nesta semana, durante a Expoazeite, em São Paulo, serão realizadas reuniões com produtores de outros estados.

Também foram apresentadas recomendações do Grupo de Técnicos da Olivicultura do Rio Grande do Sul, constituído por integrantes da Seapi e por agrônomos da assistência técnica, institutos de pesquisa, universidades, prefeituras e empresas. Além disso, Eduardo Condorelli, da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), fez esclarecimentos sobre procedimentos, do ponto de vista legal, ao cultivo de oliveiras no Bioma Pampa.

Financiamento
Representantes do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) falaram da inclusão da olivicultura no Plano Safra 2017. Assim como aconteceu com os produtores de noz-pecã, os olivicultores também foram contemplados por meio do Plano ABC, no qual os financiamentos para olivais terão prazos de carência equiparados aos de espécies florestais.

Por Elaine Pinto/Ascom
Foto: Fernando Dias/Seapi

10.07.2017 – 15h50

Sobre o(a) Autor(a)

Já nas bancas

Curta nossa página

Publicidade

Publicidade