Delegado Fabrício ressalta trabalho policial, apesar da falta de contingente
Foto: Marcelo Marques/Gazetaa


O balanço anual dos dados estatísticos da criminalidade, apresentado pela Secretaria da Segurança Pública (SSP-RS) na segunda-feira, dia 15, aponta que os furtos tiveram queda ao longo de 2017 em Caçapava. Porém aponta acréscimo nos índices de furto de veículos, roubo, posse e tráfico de drogas, em comparação ao ano de 2016.

Os crimes contra a vida tiveram redução. Latrocínio de um (2016) para zero (2017) e em homicídios de sete (2016) para dois (2017).

Na avaliação do balanço, o delegado de Polícia de Caçapava, Fabrício de Santis Conceição, observou que a diminuição dos homicídios possui um caráter simbólico, pela gravidade do delito.

– É um dado a ser comemorado. O que tenho notado é que em Caçapava tem diminuído os índices gerais de criminalidade, isto comparado com os números da segurança pública no Estado e no País. Cabe ressaltar que todos os casos de latrocínios e homicídios nos últimos três foram solucionados – afirmou.

Segundo a SSP-RS, houve um aumento no número de furto de veículos, passando de 25 (2106) para 51 (2017).
– Percebi que teve um aumento brusco de furto de veículos e residências entre os meses de agosto e novembro no ano passado. Metade dos crimes foi praticado por uma pessoa de Santa Maria, que está presa. Ele vinha aqui, furtava e volta para sua cidade. Teve outro que estava furtando para Cachoeira, mas também está preso – disse.

Os dados do governo do Estado revelam que houve aumento no registro de ocorrências de posse e tráfico de drogas. A posse de entorpecentes subiu de 42 (2016) para 64 (2017) e o tráfico de drogas saltou de 15 (2016) para 24 (2017).

– Quanto mais a polícia trabalha nos crimes de tráfico, baixa os números de furtos e roubos, pois está tudo interligado. Infelizmente a atual legislação é branda com o usuário de drogas. A Brigada Militar cumpre seu papel, traz a pessoa para delegacia, a polícia registra a ocorrência e ela sai pela porta da frente debochando das autoridades policiais. Na minha opinião, a despenalização da posse de entorpecentes trouxe prejuízo para sociedade, pois invés da prisão por um ou dois anos como era antigamente, agora o usuário recebe apenas uma advertência. Avalio que deveria ter hospitais prisionais, para a pessoa enquadrada fosse encaminhada para unidade para tratamento, mas isto não existe no Brasil – declara.

Questionado sobre os indicadores, que apontaram redução em cinco tipos de crime e o aumento em outro cinco, o delegado Fabrício avalia como positivo o balanço anual da criminalidade.

– Cabe ressaltar o esforço do contingente policial, apesar da carência enorme, principalmente na Brigada Militar e um pouco de desestímulo do policial em conta do parcelamento do salário, mesmo assim, estamos empenhados para reprimir a criminalidade. Se comparado com o aumento dos crimes em outras cidades, vejo como positivo o balanço da segurança pública em Caçapava em 2017 – disse o delegado.

Balanço anual dos dados estatísticos da criminalidade
Homicídio Doloso
2017 – 2
2016 – 7

Latrocínio
2017 – 0
2016 – 1

Furtos
2017 – 460
2016 – 514

Furtos de Veículo
2017 – 51
2016 – 25

Roubos
2017 – 44
2016 – 40

Roubos de Veículo
2017 – 3
2016 – 1

Estelionato
2017 – 24
2016 – 37

Delitos (armas e munições)
2017 – 23
2016 – 28

Entorpecente Posse
2017 – 64
2016 – 42

Entorpecente Tráfico
2017 – 24
2016 – 15

Dados: SSP-RS