Reunião ocorreu na sede do Ministério Público, em Bagé
Foto: MP-RS/Divulgação

 

Durante encontro realizado na sede do Ministério Público, em Bagé, na semana passada, dia 07 de março, foi apresentado o projeto Caçapava do Sul, empreendimento de mineração que a empresa Nexa Resources (antiga Votorantim Metais) pretende instalar nas Minas do Camaquã.

O procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, fez a abertura da reunião e destacou a importância de iniciativas que aliem o desenvolvimento econômico com a proteção do ambiental, buscando sempre a sustentabilidade.

Na oportunidade, o representante da Nexa Resources Paul Cezzane destacou o fato de que o empreendimento não produzirá metais e sim trabalhará com o beneficiamento de minérios já presentes na área, como zinco, chumbo e cobre. Além disso, como diferenciais do projeto foram destacadas a meta de 100% de recirculação de água, sem descarte de efluentes no meio ambiente; subestação e linha de transmissão própria e o depósitos de rejeitos em pilhas a seco, sem utilização de barragens.

Por sua vez, a coordenadora do Núcleo de Resolução de Conflitos Ambientais (Nucam), Anelise Grehs, mencionou a reunião pública realizada pelos Ministérios Públicos Estadual e Federal, em Bagé, em outubro de 2017, na qual foi ouvida a comunidade. A promotora de Justiça frisou que o empreendimento tem sido contestado por ambientalistas, lideranças do segmento rural, além de instituições de educação do Estado e que o objetivo da reunião foi estabelecer uma aproximação com representantes das comunidades locais direta ou indiretamente atingidas pelo empreendimento minerário, caso venha ser licenciado pela Fepam.

Participaram da reunião o coordenador do Centro de Apoio de Defesa do Meio Ambiente (Caoma), Daniel Martini; o promotor de Justiça de Bagé, Everton Luís Resmini Meneses; o promotor-assessor da Subprocuradoria-Geral de Justiça para Assuntos Institucionais, Ricardo Schinestsck Rodrigue; a procuradora da República de Bagé, Amanda Gualtieri Varela; a procuradora da República de Rio Grande, Anelise Becker, os advogados Paula Lavratti, Gustavo Trindade, Rafael Aleixo e Guilherme Simões e o representante da empresa Nexa Resources, Marcelino de Moraes.

Fonte: Imprensa MP/RS