Jocelito mora há dois anos sob a marquise do prédio da Prefeitura
(Foto: Marcelo Marques/Gazeta)

 

A dificuldade de arrumar trabalho foi o motivo que levou o soldador Jocelito Luiz Aires, 45 anos, natural de Santana da Boa Vista a morar debaixo da marquise da Secretaria Municipal de Saúde. Sua reinserção na sociedade não é nada fácil, tanto pela falta de oportunidades quanto pelo preconceito.

– Quando perdi pai e mãe, fui trabalhar na colheita da maçã em Vacaria. Terminou a safra e voltei para Caçapava, mas não tenho onde morar. Faz dois anos que moro aqui. Fome graça a Deus não passo, os funcionários da Prefeitura ou igrejas trazem comida. O frio a gente vai levando, este não tem como escapar. Banho tomo ali na lancheria (próximo a rodoviária). O que me incomoda é não ter trabalho – disse chorando.

Jocelito conta que às vezesfaz alguns serviços, como cortar grama, mas revela que são casos raros e que as pessoas têm preconceito por ele ser morador de rua.

– Quando digo onde moro as pessoas ficam desconfiadas. Sou do bem, não uso drogas. Pode perguntar para o pessoal da Prefeitura, todo mundo me conhece por aqui – declara.

Para seguir firme na busca de trabalho e moradia, Jocelito se apega a Deus. Aos domingos frequenta o culto da Igreja Assembleia de Deus e lê o livro “O Poder da Esperança – Segredos do bem-estar emocional”, de Julián Melgosa e Michelson Borges.

A esperança por emprego e um lugar digno para morar é o que move Jocelito. Mas ele não está sozinho, dois cães que também vivem na rua sempre estão ao seu lado, seja para dividir a comida ou cuidar de seus poucos pertences enquanto ele sai em busca de serviço.

– Tenho esperança que um dia alguém vai parar o carro e me convidar para trabalhar com ele. Sei fazer várias coisas, aceito qualquer serviço. Quero é um trabalho – afirma.