Em 1970, com a compra de cinco vacas, dois touros e uma novilha da raça charolesa, a Cabanha São Francisco iniciou seu trabalho. Desde então, foram adquiridos vários lotes de diversas cabanhas conceituadas no critério de charolês e inovações foram postas em prática, como o trabalho de inseminação, iniciado em 1978 e realizado sempre com os melhores reprodutores nacionais e importados, e a realização de leilões anuais.

Expandindo seu ramo de atuação, em 1975, a cabanha comprou o primeiro cavalo crioulo, Ébano da Santa Clara. Cinco anos depois, a criação de cavalos crioulos foi consolidada com a compra das primeiras éguas dessa raça, grande paixão de Itagira Biacchi, esposa Luiz Francisco Biacchi, proprietário da cabanha. Já na criação de bovinos, em 1990, buscando se adequar às novas exigências do mercado, iniciou-se a criação de animais das raças Angus e Brangus, usando as melhores linhagens de sangue americano e argentino.

Sob o comando de Luiz Francisco e seus filhos, Luiz Francisco Biacchi Filho, Alexandre Machado Biacchi, Rodrigo Machado Biacchi e Simone Machado Biacchi, em 2020, a Cabanha São Francisco chega ao seu 22º leilão, que ocorrerá no dia 03 de outubro, às 15h. Desta vez, devido à pandemia do novo coronavírus, o evento se dará de forma online e os interessados poderão conferir antecipadamente os lotes através de fotos detalhadas dos animais.

Por Iara Menezes