Na base da economia de Caçapava, está a produção agrícola. Na safra de verão, aqui, são plantados arroz, soja e milho. A Gazeta conversou, na quarta-feira, dia 06, com o engenheiro agrônomo e gerente técnico da Cooperativa Tritícola Caçapavana (Cotrisul), Fábio Rosso, para saber como está o plantio no município.

De acordo com Fábio, a área total plantada na safra verão 2020/2021 em Caçapava é de 30 mil hectares, sendo a maior parte representada pelo plantio de soja (25 mil hectares). As plantações de arroz aumentaram devido à valorização do produto e correspondem a 4 mil hectares. A menor porcentagem fica para as lavouras de milho (mil hectares).

– A área plantada se manteve igual a do ano passado. Não houve aumento significativo, devido à seca. Mas sempre cresce um pouco, pois, por exemplo, há produtores que arrendam mais terras para o plantio de soja. Algum aumento sempre tem – disse Fábio.

Segundo o engenheiro, com as chuvas, o desenvolvimento das lavouras está melhorando e a maioria já se encontra em estado vegetativo. As primeiras plantações estavam levemente atrasadas porque houve um pouco de frio no mês de novembro, além de uma estiagem.

– A região do Durasnal, na divisa de Caçapava com Cachoeira, está sentindo um pouco mais, porque houve menos chuva – comentou.

A perspectiva para a produtividade é de que, se confirmando a boa previsão de chuvas para janeiro e fevereiro, a colheita fique dentro da média de 35 a 40 sacas de soja por hectare, com um preço estabilizado entre R$ 120,00 e R$ 130,00.

Lavouras de soja na localidade do Caldeirão.
À direita, plantada entre o final de outubro 
e o início de novembro. À esquerda, plantação 
feita no final de novembro e início 
de dezembro, após as chuvas.