O músico caçapavano Fábio Coelho Machado de 36 anos lançou neste ano o EP “Tudo o Que Eu Queria Ser Quando Crescer” inspirado em seus sonhos da infância. Fabio é a voz e a guitarra da banda de rock gaúcho Fabio Coelho & Os Comparsas formada em 2019 no Vale Real localizado ao pé da serra gaúcha, à margem direita do rio Caí.

Natural de Caçapava, Fabio viveu no município até os 22 anos, quando deixou a avó Iramaia Coelho Machado, que foi quem o criou e foi em busca de melhores oportunidades em Caxias do Sul. Cidade onde viveu por 10 anos trabalhando na indústria e se aventurando no empreendedorismo, mas sempre levando a música em paralelo com a vida, compondo e tocando nos barzinhos e na noite Caxiense.

Em 2016 Fabio mudou-se para Vale Real, uma cidadezinha pequena no pé da Serra Gaúcha, onde gerencia uma fábrica no ramo de Injeção Plástica. Foi onde teve sua filha, a pequena Valentina, de 3 anos. E onde conheceu a sua esposa Fabiana Smaniotto.

Mas foi apenas em 2018 que Fabio começou o processo de gravação do seu primeiro trabalho autoral solo, gravado em São Sebastião do Cai pela LG Produções, o qual foi lançado no Spotify. Finalmente o sonho estava acontecendo, com vários shows da região da Serra, até o início da quarentena onde os shows precisaram ser adiados.

Atualmente Fabio está tocando com o também caçapavano Hermes Marques, baterista. Os Comparsas rodaram o estado gaúcho da Serra a Capital levando suas músicas para quem quiser ouvir no EP lançado nas plataformas digitais.

Durante esta fase difícil provocada pela pandemia do coronavírus, Fabio Coelho & Os Comparsas estão lançando o EP “Tudo o Que Eu Queria Ser Quando Crescer”, com três músicas autorais: “Me dê Boas Vindas”, “Só Chego com o Sol” e “O que Passa”.

A banda tem como influências: Garotos da Rua, Barão vermelho, Celso Blues boy e TNT. Fabio Coelho & Os Comparsas trazem em suas canções melodias e letras que resgatam o bom e velho Rock Gaúcho de uma forma original e bem distinta.

Fabio relata com saudade que sempre que pode retorna a Caçapava, “tenho amigos de longa data na cidade, e o meu bloco de carnaval. E interajo musicalmente pelas redes sociais com o pessoal de cidade regularmente”.

Por Iara Menezes