O casario histórico de Caçapava está desmoronando. Em fevereiro de 2012, um temporal destelhou parte da Casa dos Ministérios e agora foi o telhado da Prefeitura que caiu. O prédio foi interditado pelo Corpo de Bombeiros na semana passada.

Os proprietários da Casa dos Ministérios colocaram o imóvel à venda devido ao alto custo de manutenção do prédio que tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE).

A Casa foi local de reunião durante a Revolução Farroupilha. Na garagem funcionou o Jornal O Povo. Atualmente, a casa sofre os efeitos do tempo. As paredes tem rachaduras, a pintura está em péssimo estado e o telhado comprometido.


Outro prédio histórico que sofre, mas pela burocracia é a casa em que nasceu Borges de Medeiros. O prédio pertence a Mitra Diocesana de Cachoeira. É um exemplar da arquitetura colonial portuguesa, construída por volta do ano de 1840.

Segundo o padre Rudinei Lasch, desde a Igreja Católica assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) no Poder Judiciário, devido a cobrança do IPHAE para restaurar o imóvel. A Igreja havia sido multada em mais R$ 120 mil por não ter executado a obra.

Diante do fato, foram contratadas empresas para análise do imóvel, elaboração do projeto e coordenação da obra de restauração. Somente nesta etapa estão sendo investidos mais de R$ 50 mil.

– A Igreja quis doar o prédio para o Estado e a Prefeitura, pois não tem interesse de ficar com o imóvel, mas não quiseram. Devido ao TAC, estamos empenhados para restaurar o imóvel, mas a burocracia atrasa o início das obras. Atualmente aos projetos aguardando aprovação da Prefeitura – informa o padre.

Após a restauração, o local terá salas para aulas de catequese e uma sala terá que abrigar um museu do Borges de Medeiros, uma determinação do IPHAE.

– Não é fácil restaurar um prédio tombado. Esperamos vencer a burocracia e angariar recursos para aplicar na obra e enfim poder utilizar o local – disse Rudinei.