Select Page

Quem você é e quem você quer se tornar?

Quem você é e quem você quer se tornar?

A palestrante, Trainer em Desenvolvimento Humano, Consultora e Escritora Renata Miranda lança o livro “Quem você é e quem você quer se tornar?” na 27ª Feira do Livro de Caçapava do Sul. A sessão de autógrafos será no dia 20 (sábado), no Dia dedicado aos escritores caçapavanos e convidados especiais.

Na obra, a escritora explora um tema fundamental para quem deseja ter sucesso na vida e na carreira, a importância do autoconhecimento.

Renata é Master Coach de Carreira pelo Instituto Coaching de Carreira Maurício Sampaio (IMS),Coach Pessoal e Profissional pela Sociedade Gaúcha de Coaching (SGC) e Coach Financeiro pelo Instituto Coaching Financeiro Roberto Navarro. Analista Comportamental DISC com certificação Internacional pela PeopleKeys e Diretora Executiva da Editora Transformare e da Transformare Coaching –
Treinamentos e Consultoria.

Ela é autora dos livros “Diário de uma mãe em surto”, “Divórcio, Finanças e filhos” e coautora dos livros “Foco, Coaching para Casais” e “O poder transformador do Coaching”. Saiba mais a obra na entrevista concedida ao jornal.

Gazeta – O livro “Quem você é e quem você quer ser tornar?” explora o que?
Renata – Explora a importância do autoconhecimento. Quando descobrimos nossos pontos fortes e fracos, potencializamos o que temos de bom e eliminamos o que não somos tão bons assim. Dessa forma passamos a fazer escolhas mais assertivas na vida, principalmente em relação à profissão, onde saberemos explorar nossos talentos e características aliando ao que realmente nos faz feliz.

Gazeta – O que atrapalha uma pessoa na hora de escolher uma profissão?
Renata – Ter que escolher algo tão sério num período muito imaturo da vida, olhar para os outros ao invés de olhar para si e deixar que crenças limitantes direcionem nossas escolhas. Por exemplo, acreditar que a escolha de nossos pais é a melhor opção. Para não decepcioná-los escolhemos a carreira dos sonhos deles ou então a mais rentável, o sonho de um avô ou até mesmo qualquer curso que apresente meios mais fáceis de ingresso. Só percebemos a importância de respeitar nossas características e aptidões na hora de escolher uma profissão, quando o tempo passou e em algum momento da vida nos vemos diante da insatisfação e infelicidade diante do ofício escolhido. Algo que não gera brilho no olho, vontade de acordar animado numa segunda-feira. Algo que não gera liberdade financeira,apenas um salário que mal dá para pagar as contas até o final do mês. Viver por viver. Sem propósito. Sem direcionamento. Sem ânimo de querer melhorar a cada ano.

Gazeta – Existe uma forma para realizar o sonho profissional?
Renata – Priorizar o autoconhecimento respeitando o seu direito de fazer escolhas quebrando toda e qualquer crença que te limite de atingir teus resultados. Quando você sabe exatamente o que é importante para você e aonde você quer chegar, você consegue estabelecer um planejamento focado em atingir sua meta. E quem tem um porque, enfrenta qualquer como. Quando estamos focados, colocamos toda a nossa energia na direção da concretização do sonho e assim realizamos.

Gazeta – De quem é a responsabilidade pelos resultados?
Renata – É de fundamental importância que o indivíduo pare de terceirizar culpas e assuma um posicionamento de único responsável pelos seus próprios resultados. Não podemos mudar ninguém, mas podemos mudar a nós mesmos e ajustar tudo que não funciona bem. Quando assumimos a responsabilidade pela nossa própria vida, podemos escolher como conduzir nossas atitudes para obter aquilo que queremos.

Gazeta – Deixe uma mensagem para os leitores
Renata – A insatisfação na carreira é algo tão sério que afeta diretamente a nossa vida pessoal. Para conquistarmos a tão sonhada sensação de plenitude e felicidade precisamos buscar o equilíbrio entre realização pessoal, realização profissional e realização financeira. Se não alinharmos esses pilares de sustentação, sentiremos um vazio existencial e não saberemos o motivo. É preciso abrir a mente, libertar-se de crenças limitantes que nos acompanham durante toda a nossa existência estabelecendo barreiras onde não precisa existir. Quem decide aonde se quer chegar somos nós mesmos. O poder de escolha está em nossas mãos. Mas para sair da zona de conforto e buscar conhecimento para isso é preciso bem mais que vontade. É preciso atitude. Eu sinceramente espero despertar atitude em cada leitor. Pois é só através dela que conseguimos realizar nossos sonhos. Sonho sem ação é devaneio. E a vida é muito curta para ser pequena.

Por Marcelo Marques / Gazeta de Caçapava
Foto: Guaicira Machado

Sobre o(a) Autor(a)

Promoção

Pet

Saúde

Decoração

Combustível

Dentista

Casa

Calçados

Visite Caçapava do Sul

Últimos resultados