Select Page

Trabalhos a campo avançam no Rio Grande do Sul

Trabalhos a campo avançam no Rio Grande do Sul

A colheita do milho avançou para 65% das lavouras no Estado. Beneficiada pelo tempo, as lavouras estão 21% maduras, 12% em enchimento de grãos e 2% estão em floração, aponta o Informativo semanal divulgado pela Emater.

Os produtores avaliam a possibilidade de aumentar a área na próxima safra, como forma de diminuir a infestação de nematoides nas lavouras e de garantir maior presença de palha no sistema plantio direto.

Nos próximos dias, a colheita do milho terá o ritmo reduzido, em razão de os agricultores priorizarem a colheita da soja. A colheita também avança no estado e alcança 32% da área, com 40% madura e por colher, 26% das lavouras estão em enchimento de grãos e, em virtude do plantio da safrinha, 2% da área está em floração. A produção varia de acordo com a variedade implantada e a época de semeadura. A produtividade obtida na semana varia de 2.700 a 4.380 kg/ha, segundo relatos de produtores.

A maior parte das lavouras de soja está em fase de formação de vagens e enchimento de grãos. Nesta fase é realizada a colheita em área com cultivares precoces, com encurtamento do ciclo devido à falta de chuva em algumas localidades, principalmente na Campanha.

As lavouras mais afetadas pela falta de chuva adequada são as de cultivares de ciclo médio em fase de enchimento dos grãos. As áreas cultivadas após o Natal estão em fase final de formação das vagens e podem recuperar o potencial produtivo se a chuva regular voltar a ocorrer.

Arroz
A colheita do arroz avançou, com previsão de conclusão na Fronteira Oeste e Missões no decorrer dos próximos dias, com rendimentos médios de 7,8 t/ha. No geral, a colheita atingiu 39% das lavouras, 44% estão maduras, 16% em enchimento de grãos e apenas 1% em floração.

Pastagens
Na produção de leite, as pastagens anuais começam a ficar mais fibrosas, diminuindo a qualidade da forragem e o potencial produtivo, ficando visível o início do vazio forrageiro de outono. Esse cenário segue até fins de abril, quando as pastagens anuais de inverno começam a oferecer pastejo. A falta de umidade em algumas localidades começa a dificultar o preparo de solo e o plantio das pastagens de inverno.

Nas pastagens de inverno, se inicia as semeaduras a lanço (mecânica/aviação) sobre restevas de arroz e soja nas propriedades que fazem a integração lavoura-pecuária. Somente no município de Bossoroca, neste ano, deverá haver em torno de 30 mil hectares com pastagens de aveia e azevém para terminação bovina. Isso deve proporcionar alimento para no mínimo 50 mil cabeças que serão terminadas para o abate ou recria, mostrando que a interação lavoura-pecuária pode contribuir de forma significativa para minimizar a perda de peso dos animais no período invernal, quando o campo nativo não proporciona o suporte necessário.

Ovinocultura
Os rebanhos apresentam bom estado sanitário e nutricional, o que gera boas expectativas. A produção forrageira está sendo implantada, com vistas a atender a fase de parição das matrizes. O período é de final de monta para os produtores que planejam os nascimentos para junho e julho. As temperaturas mais amenas durante a noite facilitam o trabalho reprodutivo e a tendência é que se tenha um bom índice de prenhez devido ao bom escore corporal do rebanho.

Ascom Emater

Sobre o(a) Autor(a)

Previsão do Tempo

TV Gazeta – Mil Edições