Selecione a página

Audiência trata do projeto de produção de fosfato em Lavras

Audiência trata do projeto de produção de fosfato em Lavras

O deputado estadual Luiz Fernando Mainardi (PT); o prefeito de Lavras do Sul, Sávio Prestes (PDT); os vereadores da cidade, Neto Viana (PT) e Adilson Seixas (PDT); e o CEO da Águia Fertilizantes, Fernando Tallarico, tiveram uma audiência com a secretária Estadual do Meio Ambiente, Marjorie Kauffmann, com o presidente da Fepam, Renato Chagas, e com o secretário-executivo da Secretaria de Desenvolvimento, Joel Maraschin, na tarde de terça-feira (7), para tratar da autorização para implantar o projeto Fosfato Três Estradas, em Lavras.

O projeto vai produzir 300 mil toneladas de fosfato em mina a ser instalada na localidade de Três Estradas, na área rural de Lavras. Até agora, segundo os responsáveis, já foi investido algo em torno de R$ 80 milhões. Outros R$ 35 milhões estão previstos para a primeira fase, que deve durar cerca de 18 anos, gerando mais de uma centena de empregos diretos.

Em tramitação desde 2011, o projeto foi modificado em 2019 para se adequar às exigências de proteção ambiental. A nova proposta prescinde de utilização de recursos hídricos, não produzirá rejeitos e não terá barragens, além de ter um consumo reduzido de energia.

– A unidade de beneficiamento contará com planta para produção de energia fotovoltaica e foi projetada tendo como premissa o conceito zero energia, zero água e zero carbono, seguindo padrões contemporâneos de sustentabilidade. Estamos fazendo nossa parte. Agora, aguardamos a liberação das licenças para realizar as obras – disse Tallarico.

Para o deputado Mainardi, trata-se de um empreendimento que terá importância para a região, para o Estado e até para o Brasil, porque o fosfato é uma matéria-prima essencial para a produção de fertilizantes.

– A atual conjuntura internacional nos faz ver a dimensão deste projeto. O Brasil precisa superar uma dependência, que pode restringir nossa produção. Temos aqui no nosso quintal algo que vai ajudar todo o país. É para todo mundo comemorar – sustenta.

Ainda segundo o deputado, o projeto está adequado às mais altas exigências de proteção ambiental e vai gerar emprego, renda e desenvolvimento com baixo impacto no bioma.

– Todos temos preocupações com a proteção ambiental e ficamos felizes quando vemos um projeto que combina desenvolvimento e defesa da natureza – declarou.

Conforme informações obtidas na audiência, a Fepam está analisando as respostas da empresa a um questionário que foi enviado em meados de abril e deve ter um retorno sobre a Licença de Implantação nos próximos meses.

Texto: Fernando Risch/Ascom Dep. Mainardi – adaptado

Foto: João Ferrer

Sobre o autor

Publicidade

Ouça nosso Podcast

TV Gazeta – Vídeos

Previsão do Tempo

Publicidade

Publicidade

RESULTADOS

Signos

Publicidade

Publicidade