Select Page

Restaurante da Unipampa compra da agricultura familiar

Restaurante da Unipampa compra da agricultura familiar

Quatrocentas refeições diárias, 25 quilos de arroz branco, 20 quilos de arroz integral, 18 quilos de feijão, 50 pés de alface e 50 quilos de frutas consumidos por dia. Este são alguns números do Restaurante Universitário (RU) da Unipampa.

Inaugurado dia 19 de junho, o RU proporciona a alimentação com preços acessíveis aos alunos e servidores da universidade, além de contar com acompanhamento nutricional das refeições por um profissional da área.

Segundo a nutricionista Bruna Prass Trost, 30 anos, do Grupo Terraço Paraná (foto acima), empresa responsável pelo serviço, com o início das atividades no RU, além da criação de oito vagas de trabalho, entre cozinheira, caixas e auxiliares(contratodos através do Sine),o serviço está gerando renda aos caçapavanos.

– Estamos priorizando a compra de alimentos dos agricultores familiares, conforme determinada a legislação. Entramos em contato com a Emater, que está trabalhando na organização dos fornecedores. Alguns vieram oferecer seus produtos. Acredito que a necessidade de compra do RU aumente após as férias, agora estamos servindo 400 refeições em média por dia, imagina quando todos os estudantes estiveram no campus – ressalta Bruna.
Conforme a nutricionista, as refeições são elaboradas de acordo com o Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), que estimula uma alimentação saudável e nutricionalmente equilibrada.

Além do serviço de almoço e jantar, o restaurante também terá cantina com venda de lanches, a qual está em fase de implantação.

Avanço na qualidade de vida
Para a estudante do curso de Geologia Louise Ribeiro, 22 anos, natural de Ivoti, que ingressou na Unipampa em 2013, o Restaurante Universitário representa um marco para o campus, uma vez que foi muito aguardado pela comunidade acadêmica.

– Com o RU funcionando e oferecendo alimentação de qualidade a baixo custo, facilita a vida acadêmica e a permanência no Campus – declara.


A brasiliense Leilane Cristina Coelho Souza, 31 anos, que cursa Geologia há quatro meses, tem a mesma opinião:

– Antes do RU fazia comida todos os dias e para almoçar era aquela correria ao meio-dia para ir em casa e voltar para assistir aula. Às vezes trazia um pote com a refeição. Agora está bom demais, me preocupo apenas com os estudos. O que estranho é ter bergamota como sobremesa, mas dizem que é cultura do gaúcho para aproveitar a safra. Poderiam trocar, mas não reclamo, só tenho que elogiar o RU – declara.

Acesso ao RU
O que está dificultando a vida de estudantes e servidores é o acesso ao Restaurante Universitário, que fica um pouco distante do Prédio Acadêmico.

Quem optar por caminhar pela parte interna da universidade terá que enfrentar trechos de chão com bastante lama em dias chuvosos. Uma calçada foi construída, mas não contempla todo o trajeto.


Outra opção é ir, a pé ou carro, pela avenida Pedro Anunciação, no entanto, também terá que enfrentar o barro da estrada de chão. Outra questão que precisa ser melhorada é a iluminação no entorno do RU.

Segundo o professor Ricardo Ellensohn, Coordenador Administrativo do Campus, a universidade está providenciando melhorias na iluminação, assim como, no acesso ao RU.

– No projeto a calçada vai até o Restaurante Universitário, mas optamos por não terminar agora, pois outro prédio que está em construção tem frequente tráfego de caminhão, que poderia danificar o calçamento. A situação é temporária, assim que a obra do prédio terminar a calçada será concluída. Também estamos em tratativas com a Prefeitura sobre o calçamento do trecho da avenida em frente a universidade até o RU – informou o professor.

Gazeta de Caçapava
Fotos: Marcelo Marques/Gazeta

18.07.2017 – 11h44min

Sobre o(a) Autor(a)

Já nas bancas

Curta nossa página

Publicidade

Publicidade