Select Page

Saiba como corrigir erros nas contas inativas do FGTS

Saiba como corrigir erros nas contas inativas do FGTS

Com o início dos saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) milhares de trabalhadores compareceram às agências da Caixa Econômica Federal para retirar os recursos disponíveis.

Apesar da abertura da etapa dos resgates, o cidadão ainda pode se deparar com erros cadastrais na boca do caixa eletrônico. Entre os problemas mais comuns estão a falta de recursos em alguma conta inativa ou diferentes valores informados na consulta e, posteriormente, liberados para saque.

A Caixa recomenda que o trabalhador busque o apoio das agências sempre munido da carteira de trabalho e de um documento de identificação.

Nos casos de disparidades nas contas inativas, o problema pode estar relacionado à data de rescisão do contrato. A recomendação, nesse caso, é para que o trabalhador peça um comprovante do encerramento do vínculo trabalhista na empresa e leve à agência bancária para realizar a correção, caso essa comprovação não esteja expressa na carteira de trabalho.

Segundo a Caixa, se o trabalhador não conseguir comprovar o desligamento, ele poderá procurar uma superintendência regional do Ministério do Trabalho e Emprego para resgatar o registro.

Em outra situação, caso não haja saldo nas contas inativas, esgotadas as possibilidades acima, o valor pode ter sido transferido automaticamente para a poupança ou conta corrente se o trabalhador for correntista da Caixa.

Independentemente do valor a ser sacado – e não só aqueles acima de R$ 10 mil – o banco recomenda que o trabalhador leve seus documentos. Será mais fácil resolver qualquer problema com todos em mãos.

Para evitar transtornos na hora de sacar os valores, a Caixa aumentou o expediente de suas agências em dias específicos em duas horas, além de abrir os bancos em alguns sábados.

A Caixa alerta que há tempo hábil para todos os beneficiados com a medida sacarem os valores e recomenda para que o trabalhador evite correria às agências bancárias.

 

Fonte: Portal Brasil

Sobre o(a) Autor(a)

TV Gazeta

Últimos resultados