Encontro na Famurs ocorreu na quarta-feira, dia 06, em Porto Alegre
Foto: Comunicação da Prefeitura/Divulgação

 

As representantes da diretoria do Sindicato dos Professores Municipais de Caçapava do Sul, Márcia Miolo Dias e Genova Bittencourt, juntamente com a secretária de Educação, Leslie Maicá de Melo e o prefeito Giovani Amestoy, participaram de reunião com a equipe técnica da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs).

O Plano de Carreira e o pagamento do Piso Nacional dos Professores estava na pauta do encontro realizado na quarta-feira, dia 06, em Porto Alegre. A reunião havia sido solicitada pelo sindicato à Secretaria de Educação.
O grupo foi recebido pelo Coordenador-Geral da Famurs, o advogado caçapavano Luciano Machado, e a equipe técnica especializada na área, Marilze Fernandes e Adriana Marcon.

A vice-presidente do Sinpromc, Márcia Miolo Dias, afirmou que o sindicato tem dúvidas sobre o pagamento do índice Nacional pago em fevereiro (3,58%), faltando ainda 4,06% para atingir o índice divulgado pelo Ministério da Educação (MEC), que foi de 7,64%.

– Nosso questionamento é se o prefeito irá pagar o restante, será retroativo, qual o amparo da Prefeitura e quais os direitos dos servidores com relação a este assunto – questionou Márcia.

A técnica da Famurs, Marilze Fernandes, afirmou que atualmente mais de 150 municípios do Estado não estão pagando o Piso Nacional dos Professores e os que pagam estão com dificuldades pela falta de recursos públicos.

Após apresentação de documentos e explanação do prefeito Giovani Amestoy, na avaliação da técnica Adriana Marcon, o município estaria pagando um percentual até acima do estipulado, pois está pagando aos docentes de nível especial R$ 1.106,04, e o nível superior R$ 1.437,89, ambos com complemento.

Em relação ao reajuste para 2018, o prefeito disse que o Município garantirá o índice que for apontado pelo Ministério da Educação.

– O prefeito declarou que não pode pagar a diferença do Piso Nacional (4,06%) porque, na avaliação dele, os professores já estão recebendo o piso, e que o orçamento e o índice da folha de pagamento herdados não possibilita o pagamento. A diretoria do sindicato avalia que o índice ainda não foi atingido, que é 7,64%, por isso, vamos seguir analisando os números e dialogando até alcançarmos o que melhor para categoria – declarou a vice-presidente do Sinpromc.
Imprensa do Sinpromc