Selecione a página

Contratação de temporários será a menor em cinco anos

Contratação de temporários será a menor em cinco anos

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a crise provocada pelo novo coronavírus deve fazer com que a oferta de vagas temporárias para o Natal seja a menor desde 2015. Segundo a projeção da entidade, todos os Estados devem apresentar menos oportunidades de empregos temporários no comércio varejista. No Rio Grande do Sul, estima-se a contratação de 6,02 mil trabalhadores para atender ao aumento de vendas de final de ano.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Caçapava, Odacir Mariani, relata que, no município, o comércio não tem a característica de contratar muitos empregados temporários e destaca que, neste ano, as empresas devem ficar mais atentas e poderão fazer contratações no caso de algum colaborador precisar ser afastado se apresentar sintomas da Covid-19.

Sobre as vendas de final de ano, Odacir diz que a expectativa é grande:

– Praticamente todas as demais datas comemorativas que apresentam aumento de vendas sofreram com as restrições ou com o fechamento do comércio. A expectativa é de recuperar, ao menos em parte, a queda de faturamento que a maioria das empresas sofreu nesse ano – declarou.

Ainda segundo o presidente da CDL, uma estimativa divulgada por institutos de pesquisa acena com um crescimento real de 3% a 4% nas vendas de Natal em 2020. Para ele, caso esses números realmente sejam confirmados, serão motivo de comemoração:

– Essa é a grande esperança de todos os empresários. São raros os segmentos do comércio que conseguiram, em 2020, manter o que faturavam ou aumentar esse índice. O Natal é a última oportunidade para tentar melhorar os números – disse.

Odacir destaca que diversas crises econômicas foram enfrentadas e superadas, mas uma crise causada por uma pandemia é inédita.

– Ninguém imaginava que teríamos empresas fechadas, restrição de circulação de pessoas. Ninguém se preparou para isso. As empresas e a população precisaram se adaptar e aprender a conviver com essa situação. Diversas empresas fecharam; outras, no entanto, abriram. O que precisamos, agora, é recuperar o nível de empregos que tínhamos antes da pandemia para, depois, pensar em crescimento no número de empregados – analisou.

Já faz algum tempo que a sede do CDL de Caçapava tem, em sua fachada, a frase “Nosso comércio é um shopping a céu aberto, aqui tem tudo”, incentivando os caçapavanos a realizarem suas compras na cidade.

– Ao comprar nas empresas locais, fazemos a economia girar, ajudando na manutenção e geração de empregos, de renda e de impostos que revertem em serviços para a população. O fortalecimento das empresas locais fortalece a cidade e as faz crescer, oferecendo sempre novos produtos, mais empregos, mais serviços e mais qualidade de vida – concluiu Odacir.

Por Iara Menezes 

Sobre o autor

Publicidade

Ouça nosso Podcast

TV Gazeta – Vídeos

Previsão do Tempo

Publicidade

Publicidade

RESULTADOS

Signos

Publicidade

Publicidade