Lembro meu pai, em tempos de eleições, quando citava Diógenes – aquele sábio grego que andava de lume aceso à procura do homem honesto. Que fosse confiável a ponto de receber seu voto para representar os interesses do povo, caso eleito.

Lembro também as campanhas políticas de meus verdes anos, quando os candidatos representando os programas de seus partidos – pois estes tinham programas – faziam comícios muitas vezes na carroceria de caminhões, ou em palanques improvisados, acolhidos gentil e monetariamente pelos correligionários de cada localidade. Não se falava em Caixa 1, muito menos na 2. Os mais ardorosos defensores do partido, geralmente fazendeiros, ofereciam churrascadas aos visitantes, gastos que suas esposas reprovavam como um desperdício que faria um rombo no orçamento da casa. Sem contar com as bebidas que às vezes levavam aos excessos, até a pancadarias.

Se não me falha a memória, Brizola esteve aqui e, de cima de um caminhão, à frente da Rádio Caçapava, na Rua XV, proclamou as suas intenções de governo. Foi um delírio!

Também naquele tempo eu ouvia essa opinião mais ou menos generalizada sobre o fato de alguém se animar a candidatar-se ao governo de um país do jeito que o nosso se encontra, quebrado, endividado, dividido, sem credibilidade, segurança ou esperança de redenção, para os mais pessimistas- eu não cheguei a esse ponto. Só pode ser por um desses três motivos, diziam: ou é louco de Pinel; ou é vaidoso e ganancioso e só pensa em enriquecer e ter o máximo de poder; ou é um visionário, um idealista que acredita que pode salvar a Pátria, governando para o povo que o elegeu e assegurando-lhe o bem, a justiça e a igualdade nos direitos humanos e de cidadão. E o progresso do país pelo trabalho honesto e investimentos necessários. Quem encontrar esse candidato, por favor, não sonegue, traga-o à luz para que todos o conheçam e façam o que devem no próximo pleito.

A hora é nossa. Não temos a lâmpada de Diógenes, mas o Google, a mídia e tantos cronistas de mente esclarecidas – mais a divulgação da Ficha Limpa – poderão dar-nos as dicas necessárias para salvarmos o nosso querido e amável Brasil.


Anna Zoé Cavalheiro